Resenha #136: Meus dias com você

Título: Meus dias com você
AutorClare Swatman
Editora: Arqueiro
Nº de Páginas: 288


Quando o marido de Zoe morre, o mundo dela desaba. Mas e se fosse possível tê-lo de volta?
Numa fatídica manhã, Ed e Zoe têm uma discussão terrível, algo recorrente no seu casamento em crise, e ela acaba se despedindo de forma brusca quando ele sai para o trabalho.
Pouco tempo depois, um ônibus acerta a bicicleta de Ed, matando-o e deixando Zoe arrasada por não ter lhe dito quanto o amava. Se tivessem ficado mais um pouco juntos aquela manhã, ele ainda estaria vivo? Será que poderiam ter reconstruído o amor que os unira?
Após dois meses, Zoe ainda não conseguiu se conformar. De luto, decide cuidar do jardim do marido, quando acaba caindo e desmaiando. Então, algo estranho acontece: ao acordar, ela está em 1993, no dia em que conheceu Ed na faculdade.
A partir desse instante, Zoe passa a reviver momentos cruciais de sua vida e percebe que talvez tenha conseguido uma segunda chance: uma oportunidade de fazer tudo diferente, de focar naquilo que realmente importa, de mudar os rumos do relacionamento – e, quem sabe, o destino de seu grande amor.

Olá pessoal, tudo bom com vocês? Hoje a resenha é do livro Meus dias com você, lançamento de julho da Editora Arqueiro! Vamos saber um pouco mais sobre ele?



Imagine-se amando muito uma pessoa, ainda que não estejam em um bom momento da relação. Imagine que vocês tem uma briga por motivo fútil e que simplesmente deixa para resolver mais tarde, por não ter emocional para lidar com aquilo no momento. Cada um vai para seu lado, realizar seus afazeres, mas, por uma ironia do destino um acidente acontece e a chance de se desculpar, de resolver aquela questão se foi para sempre.

Esta é a premissa de “Meus dias com você”. Começamos a acompanhar Zoe quando a mesma perde Ed, seu marido e amor de sua vida. Os dois vinham tendo problemas em seu relacionamento, mas, o que nunca tiveram dúvidas era sobre o que sentiam um pelo outro.

Nesses últimos quinze anos, Ed foi sempre meu mundo. Ele era tudo para mim, e a verdade é que a simples ideia de continuar vivendo sem a presença dele é como atravessar um imenso deserto sem nenhum sinal de água. Sinto que minha vida agora existe apenas pela metade, ele mal acabou de partir. Sei que todos dizem que o tempo cura, mas não sei se quero que isso aconteça. Não quero que a lembrança dele, de tudo que vivemos juntos, desapareça. Quero guardá-la em minha mente para sempre, para que eu possa atravessar os dias tristes que sei que virão.

Uma oportunidade de se resolverem é deixada para depois e simplesmente se perde com a morte dele, deixando Zoe entorpecida e envolta nos “e se”, de coisas que poderia ter dito ou o que poderia ter feito para evitar que aquilo ocorresse.

Devido a alguns acontecimentos, Zoe acaba sofrendo um desmaio e acordando em 1993, exatamente no dia em que conhecera Ed na faculdade.

A partir daí ela começa a reviver momentos cruciais em anos distintos, todos envolvendo Ed, e resolve tentar mudar o destino. Decide fazer tudo diferente para tentar salvar seu grande amor e mudar o rumo de seu relacionamento, mas, será que isso é possível?



O que chamou minha atenção em relação a esta obra foi a premissa, que não é lá muito original (Provavelmente vocês já viram algo parecido se já assistiram Antes que termine o dia ou em outras obras que possuem essa mesma temática de novas chances para corrigir erros), mas que sempre mexe comigo. Parecia ser um livro tocante, que me levaria às lágrimas e que me faria refletir muito, afinal, acredito que todos nós temos coisas em nossa vida que gostaríamos de mudar ou pessoas das quais gostaríamos de ter dado um último adeus adequado. Confesso a vocês que tenho algumas.

De fato o livro te faz refletir muito à respeito de como tratamos as pessoas que amamos, a forma como pequenas coisas se tornam grandes ao nosso ver, quando as que realmente importam estão sendo negligenciadas e, principalmente, como as vezes deixamos de demonstrar o quanto amamos até que não tenhamos tempo para tal. Para mim este foi o ponto alto do livro.

Entretanto, como nem tudo são flores, tivemos algumas coisas que me incomodaram um pouco, como, por exemplo, o início meio arrastado que demorou a fluir para mim. Quando superei esta questão, me vi apenas acompanhando a história, sem sentir empatia pelos personagens ou torcer por eles. Isso costuma me incomodar sabe? Gosto de me sentir envolvida com a leitura, gosto de sofrer e sorrir com os personagens e isso não ocorreu.

Com relação ao relacionamento dos dois, tem outro ponto que achei bem interessante a abordagem: amar muito uma pessoa e às vezes não saber bem como conduzir um relacionamento quando ambos colocam sua prioridade na frente da do outro, sem chegar ao meio termo. Percebi que o casal deste livro tinha sérios problemas em relação a isso, a “estar na mesma fase do relacionamento” e isso acabou sendo outro ponto incômodo, e o motivo de não sentir empatia pelos dois.

Com relação ao final, bem, eu terminei de lê-lo e pensei: ok, mas, é só isso? Sabe aquela sensação de que faltou algo? Então!

Resumindo, é um livro com uma premissa comum, com boas reflexões, mas nada além disso, pelo menos para mim! Lembrando que o pessoal tem amado muito esse livro e o tem achado bem reflexivo, então, caso tenha se interessado pela premissa, vale a pena dar uma chance a leitura.

Bem pessoal, esta foi a resenha de hoje! Espero que tenham gostado e que não deixem de comentar. Beijos e até o próximo post!


12 comentários:

  1. Fiquei com o coração apertado com a forma como você descreveu a premissa: amar uma pessoa, brigar por uma coisinha e deixar pra resolver depois.... Gente, vou sofrer ao ler, mas quero muito.
    Adorei a dica.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Já tinha lido outras resenhas desse livro e a sua foi a que me pareceu mais realista em relação ao enredo. É possível entender que nem tudo são flores, ainda mais com uma premissa já bem comum. Não sei se lerei esse livro, confesso que esse tipo de leitura com volta no tempo não me atrai... Mas vou deixar anotado como dica, quem sabe um dia, né?
    Bjos!
    Por essas páginas

    ResponderExcluir
  3. Acho que entendo bem o que você sentiu,uma pena o livro não ser aquela coca-cola toda no final,isso é meio frustrante, eu acho,a a sua resenha foi bem realista e sincera. Fiquei meio em dúvida se o leria,mas acho que daria sim uma chance a ele.

    ResponderExcluir
  4. oie, polly quando eu vi esse livro pensei que não me interessava, mas depois, vi umas resenhas bem positivas e pensei: ah, quem sabe eu goste. mas agora já desisti, porque assim como a sua, vi várias opiniões de que o livro é mediano e minha lista já é tão cheia para eu ir ainda ler algo que nem tenho tanta vontade. Eu gosto de me conectar com os personagens, assim como você, e acho péssimo quando isso não ocorre. e que pena que você terminou o livro com essa sensação de Ok apenas.

    ResponderExcluir
  5. Oi Polly,
    Estou bem curiosa para ler esse livro, pois, apesar de ele ser clichê, ele tem uma premissa que fala de amor e isso me agrada muito. Achei interessante essa oportunidade que é dada e fiquei curiosa para entender como ela funciona e como os personagens aproveitam. É uma pena que o final tenha sido só ok para você, acho que eu espero mais rs.
    Beijos,
    http://www.umoceanodehistorias.com/

    ResponderExcluir
  6. Oiiii,

    Primeiramente: que capa maravilhosa!!!
    Segundo: meu coração ficou na mão só com a premissa! Quero muito ler, tô com a sensação de que vou morrer de chorar e ficar desesperada kkkkk, mas quero saber se ela consegue salvar o amor da vida Dela.

    Beijinhos...
    http://www.paraisoliterario.com

    ResponderExcluir
  7. Oi.
    Gosto muuito desse tipo de reflexão, temos que aproveitar o tempo que temos com as pessoas e dizer tudo que queremos quanndo elas estão por perto. Também me incomoda bastante quando não consigo me identificar com o personagem, para mim é essencial conseguir entrar na história e conseguir sentir o que os personagens sentem.
    É um livro que desperta meu interesse, apesar de a premissa ser um pouco batida.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Olá, tudo bem?
    Realmente a premissa não é muito original, mas mesmo assim fiquei com muita vontade de ler a obra, adorei a sua resenha e sua sinceridade, espero poder ter a oportunidade de ler e assim tirar as minhas próprias conclusões sobre a obra.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  9. Olá...
    Adorei a sua resenha!
    Já li essa obra e amei demais... É uma pena você não ter curtido tanto quanto eu, pois, pra mim o único defeito da obra foi ela ter terminado rsrsrs...
    Mas, o mais importante na obra são essas reflexões que são capazes de mudar uma vida :)
    Bjo

    ResponderExcluir
  10. Oi, Polly, primeiramente, QUE LAY LINDO, segundamente, a premissa não me chamou muita atenção. Pelo que vi da sua resenha, acabou sendo uma armadilha pra você, o fim do livro chegou e suas expectativas não tinham sido atingidas, uma pena. Acho que não leria não :/ tá cheio de livro/filme por aí falando sobre a mesma coisa e com abordagens mais legais. Abraço!

    ResponderExcluir
  11. Oi querida!!!
    Adorei a resenha, e como já li o livro só posso dizer que concordo com você em vários pontos. Essa capa é linda, e a história mesmo parecendo clichê em alguns fatos, me surpreendeu bastante no final. Adorei as suas fotos e como já disse a sua resenha ficou linda.

    Beijoss

    ResponderExcluir
  12. Oi,
    quero muito ler esse livro desde o lançamento, mas ler sua resenha me fez enxergá-lo por uma nova perspectiva. Agora quero ainda mais, pois vejo que existe muito da realidade cotidiana de alguns casais sendo retratada nele. Sei que evidentemente não é o ideal que as partes de um relacionamento estejam dessintonizados ao ponto de não conseguirem encontrarem um meio termo, mas infelizmente acontece, inclusive eu vivi isso no meu casamento. O fato deu ter superado isso me deixa propensa a querer saber o resultado dessa história também.

    Abraços!
    Nosso Mundo Literário

    ResponderExcluir