Resenha #137: Montanha da Lua

Título: Montanha da Lua
Autor: Mari Scotti
Editora: Amazon
Nº de Páginas: 281


Há séculos uma verdade acompanha cada herdeiro do ducado de Bousquet: A Maldição dos Hallinsons.
Conta-se que a tragédia os acompanha, levando à morte as esposas em seu primeiro ano de matrimônio. Geração após geração, aprendem sua sina e a regra a seguir para possuir uma união frutífera e longa.
Octávio Hallinson Segundo sofre as consequências de não seguir estes ensinamentos. Viúvo, isolou-se da sociedade, fugindo da responsabilidade de casar-se novamente para providenciar um herdeiro para seu título. 
Um homem marcado pela dor.
Mical Baudelaire Nashgan sempre foi uma mulher decidida, enfrentando as ordens de sua tia e negando-se a seguir o protocolo que obrigava mulheres a procurar maridos apenas por posse de títulos e dinheiro e não por amor.O posicionamento contraditório aos costumes afastou os candidatos, tornando-a uma das únicas solteironas que sua província conheceu. A mais bela dentre elas.
Uma tragédia a coloca frente aos perigos da floresta aos pés da Montanha da Lua e seu futuro torna-se incerto e assustador.

Olá pessoal, tudo bom com vocês? Recentemente firmei uma parceria com a autora nacional Mari Scotti e mais que depressa comecei a ler o primeiro romance de época escrito pela mesma! Que tal saber um pouco sobre minha experiência de leitura com “Montanha da lua”?



Este livro é o primeiro exemplar da série “Família Hallinson” e nele vamos conhecer a história de Mical Nashgan Octávio Hallinson Segundo.

De certo, antes solteirona que infeliz

Mical é uma mulher forte, inteligente, determinada, de personalidade e que decidiu que não aceitaria um casamento arranjado em seu destino: só se casaria por amor. Tendo isso em mente, a mesma foi de encontro com as crenças da sociedade da época, sendo mal vista e considerada uma solteirona a medida que os anos passam e o amor não aparece em sua vida.

A primeira lição que recebíamos: toda mulher que você amar morrerá.

Octávio é um homem recluso, fechado, marcado pelo sofrimento, que acredita que sua família sofre de uma maldição, iniciada no parto do filho varão, levando a mãe a óbito, seguido da morte de todas as mulheres que os mesmos venham a amar.  Este perdeu a primeira esposa de uma maneira traumática, por isso acredita que não existe espaço na sua vida para um relacionamento, não querendo ser responsável pela morte de mais ninguém.

Deveria lembrar-me de que sou a mulher que enfrentou toda uma sociedade para permanecer solteira e não uma donzela em apuros que precisa de um príncipe encantado que a resgate!

O primeiro encontro destes personagens tão distintos é extremamente diferente do que costumamos encontrar. Acompanhamos um acontecimento pelos olhos de Mical e confesso que fiquei aflita imaginando que o julgamento da moça estava correto, mas, Mari já começa nos surpreendendo ali, mostrando que nem tudo é como parece.

Por que o proibido sempre retorna para atormentar aqueles que se empenham em resisti-lo?

É através desse casal tão diferente, tendo como seu maior inimigo suas inseguranças e temores, que vemos o desenrolar de um belíssimo romance de época, nos conquistando logo em suas primeiras páginas.


Como dito anteriormente, este foi meu primeiro contato com a escrita de Mari – quem já acompanhava nas redes sociais – e confesso a vocês que foi uma grata surpresa!

A autora soube desenvolver um romance de época autêntico, diferente do que costumamos encontrar, com personagens fora dos padrões e um excelente desenvolvimento de enredo e ambientação.

O medo é um dos sentimentos mais impactantes que conheço, assim como o amor. Ambos possuem o poder de guiar um ser humano, levando-nos a atitudes que jamais seguiríamos em um estado normal. 

Aqui não temos uma pessoa “x” tentando interferir em um possível romance que venha a surgir entre os personagens. Os reais inimigos aqui são seus sentimentos e os temores que trazem do passado e isso é simplesmente fantástico e muito verossímil.

O medo do que possa vir, da perda e o temor da ausência de reciprocidade em uma relação são sentimentos que aparecem ao longo da vida sim e foi simplesmente fantástico encontra-los em um romance de época tão bem escrito.

Outro ponto que me ganhou muito no decorrer da obra foram os personagens secundários, que são muito bem construídos, possuindo importância e desenvolvimento muito interessantes na obra.

Quanto a estes, eu só esperei uma determinada cena entre um deles e a personagem principal que acabou não ocorrendo. Não é uma ponta solta nem nada que prejudique a obra, mesmo porque tal fato é abordado na narrativa, mas a leitora chata aqui gostaria de ter “presenciado” sabe? Rs Acredito que teria sido uma cena muito emocionante.

Em relação ao casal, a química entre os dois é inegável! Já torci por eles logo nas primeiras linhas e confesso que a cada virar de páginas, ficava cada vez mais aflita para conferir o desfecho do romance dos dois. É aquele romance que te faz sofrer, mas você sofre com gosto sabe?! Rs

Aqui cabe uma ressalva de que Octávio me deixou muito puta em alguns momentos e tive vontade de dar uns tapas nele para que acordasse sabe? As atitudes eram condizentes com seu histórico de vida, bem como com as crenças e fanatismos religiosos da época, mas acabou me incomodando um pouco. Nada que tenha prejudicado a história, mas, acredito que tenho que descrever toda minha experiência de leitura, não é mesmo?

A escrita de Mari Scotti é extremamente fluida e envolvente. Mal senti o passar de páginas e em menos de dois dias já havia concluído a obra, desejando ler todos os romances de época que a autora se disponha a escrever, porque vou te falar viu, ela é muito boa nisso!

Para não me estender ainda mais (sucinta é algo que não, sou não é mesmo?! Rs) deixo aqui a recomendação de um romance de época que me envolveu, me cativo e acabou por me ganhar através de seus personagens, enredo e desenvolvimento. Fica aqui minha dica de uma história que não é mais do mesmo e que, com toda certeza, merece ser conhecida por todos os amantes do gênero!

Não deixem de comentar ok? Beijos e até o próximo post!


18 comentários:

  1. oi,
    tudo bem?
    gostei muito da foto e de sua resenha.
    ainda não conhecia esse livro, parece bem interessante , adorei a capa do livro.

    ResponderExcluir
  2. Oi!
    Eu ainda não li nada da autora, mas já a conheço das redes sociais. Eu confesso que amo romance de época e já estou muito interessada em ler esse livro. Adorei sua resenha e sua foto ficou muito bonita.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem ?
    Eu nunca li nada de época e tenho muitas dúvidas a respeito, se vou gostar ou não, então ainda não sai de minha zona de conforto. Gostei bastante de sua foto. Acho interessante quando o livro aborda temas condizentes com a época, pois tem livros que vejo que não se aprofundam muito nessas questões.
    Beijos
    www.estilo-gisele.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. OIe,
    Já tem um tempo que conheço os livros da autora por blogs e resenhas, mas nunca cheguei a ler. Sei que o livro me parece muito bom e a capa é linda! Preciso me lembrar de ler este livro! Parabéns pela parceria!
    Beijos
    Blog Relicário de Papel

    ResponderExcluir
  5. Olá Polly!
    Já li esse livro e sua continuação e me encantei completamente com toda a história, que é fascinante ao extremo. Achei a construções dos personagens principais e secundários muito interessante, principalmente, a Mical que é forte demais.
    Devorei esse livro em poucas horas e tenho vontade de reler ele num looping infinito.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  6. Muito bom ler um livro tão rapidamente porque a gente meio que se encontra com a escrita da autora, né? Eu amo isso! Não conhecia nem a obra nem a autora, mas só o fato dela não usar pessoas com empecilhos e sim os proprios personagens e seus temores já me ganhou completamente.

    ResponderExcluir
  7. Não conhecia a obra,um romance de época com um toque mais dramático realmente parece interessante, sem falar que foge do que está na moda hoje em dia.

    ResponderExcluir
  8. Nunca li nada da autora, mas estou curiosa com este livro. Adorei você ter pontuado que a escrita da Mari é fluida e envolvente, estou em busca de algo assim.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Oie, tudo bem?
    Eu amei a sinopse! A capa tb é linda, então espero ver esses livros nas estantes em breve (n consigo ler ebook 💔). Adorei a resenha e amei esse romance proibido!

    ResponderExcluir
  10. Olá...
    Ainda não conhecia a obra em questão, mas, adorei seus comentários sobre a obra! Achei a premissa muito legal e pelos seus comentários a obra possui vários elementos que me atraem em uma leitura... Espero poder ler em breve <3
    Valeu pela dica!
    Bjo

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    É a primeira vez que leio a respeito desse livro e fiquei imaginando se tinha algum fator sobrenatural na história. A premissa é bem interessante e tem tudo para ser um romance que dê certo. Vou deixar como dica de leitura.
    Bjs!
    Por essas páginas

    ResponderExcluir
  12. Gostei muito da resenha e da personalidade de Mical. Me deixou com vontade de ler e conhecer o desfecho desse romance <3

    ResponderExcluir
  13. Oi, tudo bem?
    Eu confesso que não sou lá muito fã de romances de época, por isso não fico tão animada assim com dicas desse gênero, sabe? Mas eu gostei da premissa desse livro, além disso a protagonista parece ser bem cativante e gostei também de saber que os personagens secundários são bem desenvolvidos.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  14. Olá!
    Até agora li poucos romances de época, mas tenho vontade de ler cada vez mais. Devagarinho esse está se tornando um dos meus gêneros favoritos. Fico feliz que a autora conseguiu desenvolver bem a narrativa, deve ser impressionante. Essa capa é deslumbrante.

    Adorei o post e o blog.
    Beijão!!

    ResponderExcluir
  15. Oiee ^^
    Primeiramente: antes solteirona que infeliz - adorei kkkk'
    Eu já tinha lido sobre esse livro antes, mas ainda não tive a oportunidade de realmente lê-lo. Adoro romances de época, principalmente porque, em todos os que eu li (parando para pensar agora) não foi uma pessoa que tentou impedir o casal, mas eles mesmos. Tão vida real isso, né? Fico feliz em saber que você gostou da obra, apesar de ter se irritado com o Octávio...acontece, né?
    MilkMilks ♥
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  16. O Octávio é um ser difícil de engolir mesmo haahaha! Fico sempre feliz quando reclamam porque sei que construí ele do jeito certo, afinal, quem aguenta pessoas fanáticas? Difícil kkkk.
    MEU DEUS, amei a resenha! Obrigada pelo carinho e tanta animação! espero que se sinta assim com "A noiva devota" também!
    Já perguntei por inbox a cena que vc queria haha.
    Beijo, Mari Scotti

    ResponderExcluir