Resenha #144: Mulher Maravilha - Sementes da Guerra

Título: Mulher Maravilha – Sementes da Guerra
AutoraLeigh Bardugo
Editora: Arqueiro
Nº de Páginas: 400


Antes de se tornar a Mulher-Maravilha, ela era apenas Diana.
Filha da deusa Hipólita, Diana deseja apenas se provar entre suas irmãs guerreiras. Mas quando a oportunidade finalmente chega, ela joga fora sua chance de glória ao quebrar uma lei das amazonas e salvar Alia Keralis, uma simples mortal.
No entanto, Alia está longe de ser uma garota comum. Ela é uma semente da guerra, descendente da infame Helena de Troia, destinada a trazer uma era de derramamento de sangue e miséria. Agora cabe a Diana salvar todos e dar seu primeiro passo como a maior heroína que o mundo já conheceu.

Olá pessoal, tudo bom com vocês? Atualmente tenho gostado muito de trazer resenha de livros que saem da minha zona de conforto. Pensando nisso, resolvi trazer a resenha de um livro que mistura fantasia e aventura, com uma mensagem de empoderamento feminino. Vamos falar de Mulher Maravilha, da autora Leigh Baldurgo?


Não podemos evitar a forma como nascemos ou o que somos. Mas podemos escolher o rumo de nossas vidas.

Diana é filha da deusa Hipólita, residente da ilha de Temiscera, um local criado pelas deusas para onde vão todas as mulheres que morrem em batalha, de forma heroica, e chamam por seus nomes em seus últimos suspiros. Ela, no entanto, não morreu em batalha como as outras, motivo pelo qual é subestimada.

Em meio a uma competição, quando tem a chance de se consagrar perante suas irmãs e ganhar seu respeito, ela abandona a prova para salvar uma mortal – Alia Keralis – quebrando assim uma das regras das Amazonas.

O que Diana sequer imaginava era que estava salvando uma Semente de Guerra, nascida da mesma linhagem de Helena de Tróia. Devido a sua linhagem, Alia causava discórdia e destruição por onde passava e a reação de sua presença na ilha não foi exceção.

Ela não carrega a própria morte, mas a do mundo. Acha que foi por acaso que aquele barco chegou tão perto de nossa costas? Alia é uma Semente da Guerra, nascida da mesma linhagem de Helena, que foi gerada por Nêmesis.

Diana tem duas escolhas: deixar a garota morrer e assim evitar a destruição de sua ilha e a eclosão de uma nova guerra ou aceitar uma missão que acabaria com a linhagem das Sementes da Guerra.

Não é justo exigir que uma pessoa viva pela metade - respondeu Diana - Não podemos viver com medo. Ou fazemos as coisas acontecerem, ou as coisas acontecem com a gente.

Querendo provar seu valor, ela aceita a missão que não permite falhas, nos rendendo uma aventura que nos prende do início ao fim.


Não sei vocês mulheres, mas nunca havia me sentido representada por um filme de heróis! A história era sempre a mesma: por mais forte que a mulher fosse, ela sempre precisava ser salva por um homem no final e isso era extremamente cansativo. Até os desenhos da Disney haviam variações dessa fórmula (como em A Bela e a Fera, Mulan, Frozen, dentre outros), mas os filmes de super heróis não. Imaginem qual foi minha surpresa quando assisti Mulher Maravilha no cinema. Ali finalmente encontrei um filme com uma heroína que me conquistou.

Quando me propus a ler este livro, estava extasiada pelo novo filme da Mulher Maravilha que havia visto há pouco. Me senti finalmente representada em um filme de herói e queria muito sentir aquele sentimento de novo ao ler este livro.

Iniciei a leitura e me deparei com uma Diana de 17 anos, que apesar de ser uma amazona, era uma adolescente que viveu durante toda sua vida em uma ilha, sem contato com os mortais. Confesso a vocês, leitores, que fiquei com um pé atrás com esse fato, mas segui lendo sem grandes expectativas.

Até que de fato Diana aceitasse a missão, achei o livro um tanto quanto morno, mas, quando a mesma embarca em sua jornada com Alia e foi para Nova York, tendo contato com um mundo, pessoas e sentimentos diferentes, comecei a me ver presa na história, ansiosa para saber como tudo aquilo iria terminar.  Foi muito legal acompanha-la em suas primeiras amizades, em suas descobertas – dentre elas a de que nem todos os mortais eram ruins – e em sua primeira paixonite.

Adorei ver uma garota imortal, se unindo a mortais para salvar o mundo. Essa união nos rendem momentos engraçados, fofos e ação, me ganhando de vez. 



Outro ponto que adorei foi uma reviravolta apresentada no fim da trama. Nunca imaginei aquele desfecho para um determinado personagem e isso foi um ponto super positivo da história. Quem não gosta de ser surpreendido em histórias de ação, não é mesmo?

Apesar de ter esperado uma história de ação mais parecida com o filme (ainda que não se pareçam em quase nada), este livro me ganhou em outros pontos e de maneiras diferentes, me fazendo ter uma leitura agradável e prazerosa, fazendo com que me apaixonasse ainda mais por essa personagem. Foi maravilhoso me sentir representada novamente em uma história de super heróis e isso o livro faz com louvor.

Os questionamentos e afirmações em relação a igualdade de gênero são presentes em diversos pontos da história, e isso é simplesmente maravilhoso! Precisamos de obras que abordem esse tema, que "toquem na ferida" para que vejamos pensamentos mudarem e, por consequência, uma nova realidade em nossa sociedade.

Quanto a narrativa, nunca tinha lido nenhuma das obras da autora e gostei muito da maneira como ela escreve, com fluidez e clareza. Esta soube inserir as reviravoltas no momento certo, bem como as cenas engraçadas e as de tensão, fazendo com que tudo se encaixasse perfeitamente, como tem que ser.

Em relação a edição, a mesma possui páginas amarelas, um tamanho de fonte e espaçamentos bons e uma arte gráfica linda. Não encontrei erros de revisão durante minha leitura.


Enfim! Esta é uma aventura divertida e envolvente que prende o leitor, ao mesmo tempo em que aborda temas como igualdade de gênero, racismo, empoderamento feminino, amizade e descoberta da própria força, nos trazendo um pouco sobre cultura grega e nos brindando com uma das maiores heroínas que representa a nós, mulheres. Leitura mais que recomendada!


8 comentários:

  1. Oi,
    eu acompanhei as divulgações da editora em cima desse título e confesso que na época sequer cogitei a possibilidade de dar uma chance a essa história, não ando muito na vibe de heróis, nada relacionado a esse assunto tem me chamado a atenção nos últimos tempos mas depois de sua resenha estou cogitando reconsiderar e quem sabe dar uma chance a essa história.

    Abraços!
    Nosso Mundo Literário

    ResponderExcluir
  2. Esse livro é uma belezura pelo que notei nas fotos que vi por aí. Agora eu preciso ler, pois só vejo elogios e assim como você vou sair da minha zona de conforto, uma vez que nunca li nada do tipo.
    Fico tão curiosa quando vejo falarem do livro, qual desfecho, que reviravolta?! Preciso ler.

    Beijos.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oie, tudo bem?
    Eu estou com esse livro em mãos, e em breve farei a leitura dele. Li algumas opiniões não muito favoráveis a história, e outras, assim como a sua, elogiando a trama. Estou cheia de expectativas, e claro, espero ser cativada pela trama, assim como você foi.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Realmente houve esta questão das pessoas falarem sobre ele ser um pouco lento de início e depois engrenar, acho que é pela descrição mesmo, mas não tenho muita habilidade em ler livros de heróis.

    ResponderExcluir
  5. Oi,

    Eu só não solicitei esse livro porque achei que ia ser muito young adult. Eu não sei ainda se eu leria, pelo menos não agora, mas gostei de saber que há essa reviravolta, pois amo reviravoltas. Haha. Parabéns pela resenha.

    beijos!

    ResponderExcluir
  6. Sabe que eu fiquei na maior vontade de ler esse livro, mas como esse tipo de história normalmente só me prende em filmes eu acabei deixando a ideia de ler meio de lado... Como você comenta que o início é meio morno, não sei se ele não me faria abandonar a leitura - eu ando meio impaciente com alguns livros ultimamente...rs
    Que bom que o final compensa (adoro reviravoltas inesperadas!) e, mais ainda, que bom ter uma personagem forte no meio de tantos heróis dando pelo menos um pouquinho de representatividade feminina :)
    Beijinhos,
    Lica

    ResponderExcluir
  7. Oii, tudo bom? Adorei sua resenha e conhecer melhor esse livro. Por ser juvenil, eu fiquei com um pé atrás, não vou negar, mas de qualquer forma fiquei bem curiosa com a leitura e espero ter a oportunidade de realizá-la em um futuro próximo! Sempre quis ler algo da Leigh Bardugo, quem sabe eu começo com esse :)

    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Oi!
    Ai, que bom que parei por aqui, pois eu ja ia ler achando que era identico ao filme! Mesmo não sendo, quero muito ler pois me apaixonei pela personagem ❤

    ResponderExcluir