Entre Livros e Séries #3: The Alienist


Olá pessoal, tudo bom com vocês? Hoje venho conversar um pouco sobre um seriado que conclui recentemente e que simplesmente adorei! É uma série que tem ganhado repercussão, mas não tanta como merecia, tendo em vista que existem várias séries do mesmo gênero que são inferiores em questão de qualidade e que são tão faladas pro aí. Vamos conhecer um pouco sobre The Alienist?
Inspirada na obra homônima de Caleb Carr, The Alienist tem início quando o  corpo de um garoto prostituto é encontrado na ponte do Brooklin, em 1896, de uma forma totalmente teatral, mutilado e violentado, sendo este o ponto de partida para a história.

As características cruéis do crime chamam a atenção da polícia de um alienista, Laszlo Kreizler (Daniel Bruhl), um especialista em avaliar mentes ‘alienadas’, mentes criminosas que são guiadas por outro senso de realidade. Tentando decifrar o que se passa na mente deste assassino e suas motivações para o crime, ele agrega em sua equipe o ilustrador Jornalístico John (Luke Evans, ou Gaston, como quiserem chamar rs) e a Secretária Sarah Howard (Dakota Fanning), a primeira mulher que passou a compor o quadro da equipe de polícia nova-iorquina.

Entretanto, o caso acaba se tornando um verdadeiro quebra cabeças quando as pistas sobre o crime parecem insuficientes e os assassinatos brutais continuam acontecendo, com o mesmo requinte de crueldade.

Agora, nossos protagonistas vão ter que correr contra o tempo para encontrar o assassino e evitar novas mortes de garotos prostitutos, enquanto Kreizler tenta desvendar o que se passa na mente do assassino em série.

The Alienist não é uma série inovadora em quesito de estrutura. A série tem uma pegada de mistério usada em filmes como ‘Silêncio dos Inocentes’ e até mesmo em livros como do Sherlock Holmes, ao squais fui remetida diversas vezes enquanto assistia a série e que simplesmente adoro!

Com uma pegada mais gótica, acompanhamos os personagens em uma Nova York chuvosa e sombria do século XIX e com uma ambientação incrível, vemos nossos personagens correrem contra o tempo para tentar para o maior assassino em série que surgiu após Jack – O estripador.

Mas a série vai além do mistério! Aqui temos três personagens principais marcados por seus passados, que tem que aprender a lidar com seus fantasmas e questões enquanto tentar desvendar crimes brutais.

A construção de Kreizler, John e Sarah é simplesmente fantástica! Nosso Alienista é alguém totalmente fora da casinha, com um pensamento além – que se assemelha muito a Sherlock – mas, com comportamentos hora gentis, hora ácidos e até mesmo agressivo, tornando-se um personagem totalmente complexo.

Sarah é uma mulher forte, à frente de sua época. Em um ambiente hostil, onde ela é subjugada a todo momento, ela simplesmente não desiste de provar sua capacidade. Ser a primeira mulher no quadro de funcionários de Nova York não é uma tarefa fácil, mas se alguém tinha força para fazê-lo era ela! A mulher é fantástica, mesmo com seu passado sombrio, e muitas vezes é o verdadeiro destaque da investigação.

John é um personagem que em um primeiro momento dá a impressão de ser fraco, mas, que vai demonstrando sua força e nos mostrando o enorme coração que tem ao decorrer dos episódios, nos ganhando a cada nova cena. Confesso que torci a todo momento por ele e Sarah, que são perfeitos juntos, ao meu ver! rs
Um ponto que achei legal é que a personagem de Dakota foi de fato inspirada na primeira mulher a trabalhar na Polícia de Nova York e outras figuras reais como Roosevel, que viria a ser Presidente dos EUA tempos depois, também tem participação na série.

O romance é praticamente escasso, mas as abordagens sobre psicopatia, discussão de gênero, a corrupção na polícia nova-iorquina e a batalha intelectual travada entre nosso Alienista e Sarah são um verdadeiro trunfo, que se torna mais interessante que o próprio assassinato em si.

Temos personagens secundários muito bem construídos que vão surgindo ao decorrer da trama, tendo papel fundamental na mesma. Os mesmos só deixam tudo mais interessante para o telespectador.

Outro ponto que adorei foram os figurinos e cenários. Somos de fato transportados para época em que se passa a série e simplesmente amo quando isso acontece.
A série conta com apenas uma temporada, já disponível na Netflix, e possui tem um desfecho interessante e bem condizente com tudo o que nos apresenta ao decorrer de seus dez capítulos.

Com personagens geniais e complexos, um enredo envolvente e uma investigação cruel, acompanhamos uma série cheia de reviravoltas, que agradará até os mais exigentes fãs de Sherlock e Agatha Christie e, por isso, a recomendo hoje a todos vocês. Vale a pena conferir este seriado curtinho em que seu diferencial não se encontra na temática e sim no desenvolvimento e na construção dos personagens secundários e principais.

Espero que tenham gostado da  indicação de hoje! Beijos e até o próximo post! Não deixem de comentar, ok? ♥

8 comentários:

  1. Oi Polly, tudo bem?

    Lá no blog quem assistiu foi a Marise e ela adorou a série também. Tem um elenco ótimo e gostei dos figurinos e é bom saber que a trama tem um bom mistérios e personagens bem construídos. Já está na minha lista de séries Netflix pra ver.

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  2. Oi Polly!

    Tudo bem? Eu comecei a assistir O Alienista um tempo atrás e aconteceu o que sempre acontece com esse tipo de série: achei mega interessante, mas estava com tanto medo do tom sombrio dela que tive que parar de assistir (sim, eu sou dessas medrosas!).

    Concordo que o figurino está impecável e eu adorei a personagem da Dakota também, mesmo tendo assistindo três episódios apenas. Fico muito feliz que tenha visto tantos pontos positivos na trama, mas confesso que não sei se vou voltar a ver.

    Beijinhos - Jessie
    www.paraisoliterario.com

    ResponderExcluir
  3. Ola lindona ainda não conhecia essa série o os pontos destacados em sua postagem já me chamaram atenção, além de ter a linda Dakota que adoro. Dica mais que anotada. beijos

    Joyce
    Livros Encantos

    ResponderExcluir
  4. Oi, Polly!
    Assisti essa série recentemente e tenho que concordar, Sarah e John super combinam! Gostei bastante da ambientação (e obviamente do figurino), mas o que mais me prendeu foi a forma como trataram a série como um todo, a gente consegue ver laços se formando, a trama se desenvolvendo num ritmo bom e com acontecimentos que fazem sentido ao que está sendo proposto.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Eu fiquei muito interessada na série! Amo séries de investigação criminal (fã de Lei e Ordem SVU há mais de uma década) e essa parece ter nosso o necessário para me atrair. E embora eu ainda não conheça o Sherlock Homes sou leitura de Agatha Christie. :D

    Infelizmente, com tantas coisas para fazer não tenho tido tempo para assistir nada (séries, filmes novelas, nada). Mas com certeza darei uma chance à série quando a oportunidade surgir.

    Bjs!

    ResponderExcluir
  6. Eu acho essa série um pouco sombria para mim... rs Mas está na lista para eu conferir pelo menos os primeiros episódios e confirmar ou desconstruir minha impressão dela.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Oi, tudo bem?
    Eu sempre vejo muitos elogios para essa série, mas confesso que não tenho muita curiosidade de assistir. Acho um tema um tanto pesado, ainda mais por abordar a psicopatia. Confesso que fujo um pouco de filmes e séries de suspense e essa não me atraiu muito. Além disso, não gosto muito da Dakota Fanning, o que me desanima mais ainda.
    No entanto, pelo que eu vi do seu post e das fotos que você colocou, a produção parece ser sido mesmo impecável, especialmente a parte dos figurinos. Então, para quem gosta do gênero, pode ser uma ótima opção.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Oi, Polly!
    Eu assisti a série também e amei demais. As minhas preferidas são essas que possuem os elementos apresentados em The Alienist, mistério, empates intelectuais e investigações policiais, adoro séries assim. Outra que indico muitos é As Crônicas de frankenstein, muito boa também.

    Beijos,

    Rafa - Fascinada por Histórias

    ResponderExcluir