Resenha #181: Dias de Despedida


Título: Dias de Despedida
AutoraJeff Zentner
Editora: Seguinte
Nº de Páginas: 392
"Cadê vocês? Me respondam."
Essa foi a última mensagem que Carver mandou para seus melhores amigos, Mars, Eli e Blake. Logo em seguida os três sofreram um acidente de carro fatal. Agora, o garoto não consegue parar de se culpar pelo que aconteceu e, para piorar, um juiz poderoso está empenhado em abrir uma investigação criminal contra ele. Mas Carver tem alguns aliados: a namorada de Eli, sua única amiga na escola; o dr. Mendez, seu terapeuta; e a avó de Blake, que pede a sua ajuda para organizar um “dia de despedida” para compartilharem lembranças do neto. Quando as outras famílias decidem que também querem um dia de despedida, Carver não tem certeza de suas intenções. Será que eles serão capazes de ficar em paz com suas perdas? Ou esses dias de despedida só vão deixar Carver mais perto de um colapso — ou, pior, da prisão?
Olá pessoal, tudo bom com vocês? Quem é vivo sempre aparece, não é mesmo? rs Após uma sumida básica causada por uma prova, aqui estou eu de volta para falar de um livro que foi uma verdadeira surpresa para mim! Que tal saber um pouquinho sobre Dias de Despedida, do autor Jeff Zentner?


Fico pensando se as ações que tomamos e as palavras que dizemos são como pedrinhas jogadas num lago, causando reverberações que se espalham muito além do centro até finalmente se quebrarem na margem ou desaparecerem.

Mars, Eli, Blake e Carver são amigos inseparáveis que formam A Trupe do molho, um grupo repleto de cumplicidade e amizade, que os garotos acreditavam que seria eterno.

No entanto, o destino é algo imprevisível e o que era para ser um dia normal para os garotos acaba se transformando em uma tragédia.

Cadê vocês? Me respondam.” Uma mensagem simples para seus amigos, apenas quatro palavras, que acabaram se tornando as últimas trocadas entre eles. Mars, Eli e Blake, o restante da Trupe do Molho, sofreu um acidente fatal de carro logo após receber a mensagem, o que fez com que Carver se sinta culpado por todo o ocorrido.

O mundo é cheio de vida vibrante pulsando. Exceto pela caixa de madeira na frente do salão. Lá tudo está parado. E o que causou essa imobilidade foi a atividade mais banal e rotineira da minha parte. Mandar mensagem para os meus amigos. O equivalente humano a uma mosca esfregar as patas traseiras. É apenas algo que fazemos. Sem a intenção de matar seus três melhores amigos.

Em meio a perda, luto e o sentimento de impotência e culpa, Carver se sente invadido pelas mais diversas sensações, o que faz com que ele entre praticamente em um colapso emocional enquanto tenta lidar com a nova realidade de sua vida.

Como se não bastassem tais sentimentos, Carver ainda se verá na iminência de ser processado e preso pelo ocorrido. O pai de um dos garotos, um juiz poderoso, está empenhado em culpa-lo pela morte de seu filho e dos demais rapazes, e por isso está reunindo provas para abrir uma investigação criminal.

Agora vem a parte difícil. Quando não podemos mergulhar em programas regrados para o nosso luto. Quando ficamos sozinhos com nós mesmos.

Entretanto, Carver também tem pessoas a seu lado, apoiando-o: seus pais, a ex namorada de Eli, Dr. Mendez - seu terapeuta e a avó de Blake, uma senhora doce e gentil que insiste em dizer que não o culpa pelo ocorrido. É tentando ajudar esta senhora que tem lhe dado tanto apoio que ele aceita organizar um dia de despedida para Blake, que consiste em compartilhar lembranças do neto, enquanto os dois fazem um dia dedicado a coisas que ele teria apreciado em seu última dia.

Engraçado como as pessoas passam por este mundo deixando pedacinhos de sua história para as pessoas que conhecem carregarem. Faz você pensar o que aconteceria se todas essas pessoas juntassem suas peças de quebra cabeça.

Uma experiência difícil e extremamente intensa, que deveria ser algo único desperta o interesse das demais famílias, que passam a requisitar também um dia de despedida. No entanto, Carver não tem certeza de que estas outras famílias não possuem segundas intenções.

 Seriam eles capazes de lidar com suas perdas? De encontrarem a paz naquele dia como ocorreu com a avó de Blake? Os dias de despedida vão deixar Carver ainda mais esgotado emocionalmente? O que for dito naqueles dias, poderá aproximá-lo da prisão? 

Não falo mais nada no curto trajeto para casa. Em vez disso, reflito sobre a fragilidade. Minha. Da vida. Queria voltar a viver sem esse peso.

Como já dito anteriormente, este foi um livro surpreendente para mim. Sabia que seria uma leitura diferente, com uma temática forte, mas nunca imaginei que ele me despertaria tantos sentimentos, como ocorreu ao decorrer da leitura.

Quando me propus ler a história de Carver e da tragédia que se abateu sobre sua realidade, nunca imaginei encontrar um livro tão intenso, reflexivo e tocante. Nunca pensei que me faria repensar tanto sobre os pesos de nossas ações, sobre a fragilidade da vida, a morte, a forma como lidamos com ela e como nunca estamos preparados para perder aqueles que amamos.

Muita gente prefere aceitar uma parcela indevida de culpa por alguma tragédia do que aceitar que não existe ordem nas coisas. O caos é assustador. É assustadora a existência inconstante em que as coisas ruins acontecem a pessoas boas sem nenhum motivo lógico

Além de um garoto perdendo seus melhores amigos, temos ainda pais, avós e irmãos, tendo que lidar com uma morte abrupta, sem saber ao certo se devem atribuir a culpa do ocorrido a alguém e se isso de fato faria algum bem, ou no mínimo, alguma diferença.

O universo e o destino são cruéis e aleatórios. As coisas acontecem por inúmeros motivos. Acontecem sem motivo nenhum. Carregar nas costas o fardo dos caprichos do universo é demais para qualquer pessoa. E não é justo com você

Esse livro me tocou por completo. Com uma narrativa fluida e envolvente, conhecemos personagens que são muito mais do que aparentam. São seres com falhas e qualidades, que se assemelham ao real e que nos mostram que nem sempre conhecemos todas as nuances daqueles que amamos, por mais próximos deles que sejamos.

Acompanhamos um enredo muito bem construído, onde em meio a flashbacks e momentos no presente, vemos dor e sofrimento, mas também felicidade e cura. Aprendemos a valorizar os pequenos momentos, a perceber a fragilidade da vida.

Através de uma narrativa construída para jovens, temos tantas mensagens importantes e necessárias, que seria impossível transcreve-las em sua integralidade.

É em meio a essa resenha um pouco diferente e bastante sentimental que deixou a indicação deste livro que me marcou tanto, que me ensinou e mexeu muito com meus sentimentos. Deixo a vocês a indicação de um livro único, que também precisa ser lido por vocês.

Espero que tenham gostado da resenha de hoje! Não deixem de comentar, ok? Beijos e até o próximo post! 

18 comentários:

  1. Oi sua linda, preciso começar dizendo o quanto eu amei as fotos da postagem, você é maravilhosa demais! Esse é um livro que está na minha lista de desejados tem um tempinho, apesar de ser uma história que tenho certeza que vai me fazer chorar, sei também que ficarei emocionada. Adorei sua resenha e só reavivou minha vontade de ler, valeu pela dica!

    ResponderExcluir
  2. Tenho mesmo que ler este livro. Ultimamente tenho procurado livros que mexam mais com os meus sentimentos e acho que este conseguirá fazer isso.

    All We Need Is... | Facebook | Instagram

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii! :)
      Comprei esse livro na Flipop aqui em São Paulo, depois de conhecer o autor. Fiquei encantada com a história. Ele descreve de uma forma simples e que prender a atenção para um tema bastante difícil. Também me surpreendi demais com o livro e espero ver outros livros dele sendo publicados no Brasil! <3


      Beijos
      www.ventodoleste.com.br

      Excluir
  4. Fiquei bem curioso para saber mais sobre o desenrolar e a finalização da trama. Ele parece aguçar a vontade de continuar lendo a história sem querer largar.

    ResponderExcluir
  5. Quando eu vi essa capa não imaginava que era sobre isso que a trama tratava. Pelo título e capa achei que era um chick lit. Acho que ela poderia ser melhor para um enredo desse tipo, né ? Mas ainda bem que vim ler sua resenha, fiquei muito interessada em conferir. Gosto de enredos que falam sobre superação e recomeços, e já estou triste de saber o que me esperada da leitura.
    beijos

    ResponderExcluir
  6. Olá! Nunca pensei que uma simples mensagem poderia acarretar em uma tragédia e achei essa premissa bem diferente e fiquei curiosa pra ler a história e ver como se desenvolve. O protagonista passa por "poucas e boas" perde os amigos, corre risco de ser preso, se apaixona.. Tenho esse livro aqui e nunca tinha pensando nele.. Vou ler! Adorei suas fotos, muito delicadas! Obrigada pela resenha!

    Bjoxx ~ www.stalker-literaria.com ♥

    ResponderExcluir
  7. Olá, faz um bom tempo que não leio ou vejo um filme focado em drama, gosto muito do gênero e me emociono bastante com histórias como essa, vou por ele na minha lista com toda certeza, ainda mais por aparentar ser uma história bem original que passa mensagens bem fortes. Amei sua resenha, espero poder ler o livro, bjs !!

    ResponderExcluir
  8. Olá...
    Confesso pra ti que não conhecia esse livro e tenho que acrescentar que não posso ler livros nesse estilo. A temática dele é forte, ele é intenso e mexe com nossos sentimentos pelo que pude perceber na sua resenha. Eu sou uma pessoa que não sabe lidar com o luto e acredito que ler sobre isso, me fará reviver episodios que quero manter enterrado em mim.

    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Oi, Polly

    Infelizmente não consigo comprar essa história. Isso dele se culpar pela morte dos amigos é compreensível. Agora, os pais das vitimas? Não, é demais pra mim, acho mega forçado.
    Mas que bom que foi uma leitura que te tocou tanto assim.

    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Oii, tudo bem?

    Eu tinha esse livro, mas acabei trocando. Ficou na minha estante por alguns meses, nunca senti vontade de ler. Isso de o personagem se culpar pela morte dos amigos não iria fluir para mim. Acho o enredo um pouco mórbido.
    Fico feliz que tenha gostado do livro, mas eu passo a dica.

    Beijinhos!!

    ResponderExcluir
  11. Olá, esse foi o primeiro livro que me fez chorar na vida! Fico super contente em saber que também foi uma leitura tocante para você. Ele traz mesmo reflexões muito importantes pra gente.

    http://petalasdeliberdade.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Olá, primeiramente parabéns pela resenha... Eu ja tinha visto o livro outras vezes, mas não tinha me interessado em pesquisar nada dele, hoje lendo sua resenha pude perceber que se trata de um livro bastante interessante, vou anotar a dica e espero apreciar a leitura tanto quanto você...

    ResponderExcluir
  13. Oi tudo bem?
    Eu tenho o livro aqui, mas ainda não senti que é o momento certo para ler devido à tematica, entretanto, gostei de saber mais sobre ele com a sua resenha. Além disso, o autor é um amor de pessoa e qnd veio ao Brasil aguçou minha vontade de ler o livro
    bjos

    ResponderExcluir
  14. Olá! Já li várias resenhas desse livro, mas a sua foi mesmo a mais sentimental. Eu tinha gostado da premissa antes, mas gostei mais ainda agora. vou ter que colocar na frente de outras leituras. rsrs
    bjs
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  15. Que lindas as fotos Polly!!!
    Quero muito ler este livro porque é bem o que eu gosto: drama e reflexão sobre o luto. Fiquei imaginando a sensação de culpa do personagem e a pressão sobre ele e tenho certeza que irei me emocionar muito!!!
    beijos

    ResponderExcluir
  16. Oii, tudo bem?
    Eu estou com esse livro aqui em casa, mas não fazia ideia de que ele era tão profundo e falava de temas tão serios quanto esse. Fico feliz que o livro tenha te agradado e que o autor tenha conseguido desenvolver bem a trama.

    ResponderExcluir
  17. Olá!!!
    O livro realmente parece ser intenso e diferente, pois mexe com o emocional e acaba nos tocando principalmente porque acho que acabamos nos colocando no lugar dos personagens.
    Eu estava lendo a resenha e fiquei pensando que também seria difícil pra mim se as últimas palavras ouvidas pelas pessoas que eu gostasse fosse algo parecido do personagem.
    Achei a capa do livro linda e a história muito interessante.
    Parabéns pela resenha!!!

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir