Resenha #198: Os números do amor


Título: Os números do amor
AutoraHelen Hoang
Editora: Seguinte
Nº de Páginas: 280
Um romance que prova que o amor muitas vezes supera a lógica.
Já passou da hora de Stella se casar e constituir família — pelo menos é isso que sua mãe acha. Mas se relacionar com o sexo oposto não é nada fácil para ela: talentosa e bem-sucedida, a econometrista é portadora de Asperger, um transtorno do espectro autista caracterizado por dificuldades nas relações sociais. Se para ela a análise de dados é uma tarefa simples, lidar com os embaraços que uma interação cara a cara podem trazer parece uma missão impossível. Diante desse impasse, Stella bola um plano bem inusitado: contratar um acompanhante para ensiná-la a ser uma boa namorada.
Enfrentando uma pilha cada vez maior de contas, Michael Phan usa seu charme e sua aparência para conseguir um dinheiro extra. O acompanhante de luxo tem uma regra que segue à risca: nada de clientes reincidentes. Mas ele se rende à tentação de quebrá-la quando Stella entra em sua vida com uma proposta nada convencional.
Quanto mais tempo passam juntos, mais Michael se encanta com a mente brilhante de Stella. E ela, pela primeira vez, vai se sentir impelida a sair de sua zona de conforto para descobrir a equação do amor.
Olá pessoal, tudo bom com vocês? Hoje é dia de resenha de romance contemporâneo aqui no Entre Livros e Personagens e tenho que confessar a vocês que foi um livro que subestimei e que me surpreendeu muito. Vamos conversar um pouco sobre Os números do amor?
Em Os números do amor, escrito por Helen Hoang conheceremos Stella, uma econometrista, portadora da síndrome de Aspenger, um transtorno do espectro autista caracterizado por dificuldade em relações sociais.

Ela convive bem com sua síndrome, tem um bom emprego e uma vida confortável, no entanto, isso não é o suficiente para mãe, que não vê a hora da moça constituir família e ter filhos.

Os desejos da mãe seria algo simples se ter um relacionamento não fosse para Stella uma missão quase impossível, já que o convívio social, uma conversa desembaraçada e relações sexuais são um verdadeiro tormento.


Só de pensar no Tinder - e no encontro decorrente do uso do aplicativo  já começou a suar. Stella detestava qualquer coisa relacionada a um encontro: a quebra da rotina confortável, as conversas rasas e constrangedoras, e, de novo, o sexo...

Diante da sua falta de traquejo social, Stella bola um plano bem inusitado: contratar um acompanhante de luxo para ensiná-la a arte da sedução e das relações sexuais, que para ela são sempre tão incômodas.

Philip estaria certo? Ela não gostava de sexo porque não sabia fazer direito? A prática levava à perfeição? Era um conceito interessante. Talvez o sexo fosse só mais uma interação pessoal que exigisse um esforço extra de sua parte - como conversas casuais, contato visual e regras de etiqueta.

É assim que Stella vê seu destino ligado ao de Michael Phan, um rapaz que está com um número enorme de contas para pagar e não vê outra saída. Michael tem uma regra de não ter clientes reincidentes, no entanto, ele acaba quebrando esta regra quando Stella entra em sua vida, com sua proposta nada convencional.

À partir daí os dois passam a conviver e sentimentos começam a surgir. Enquanto Michael se encanta com a beleza e inteligência de Stella, ela começará a se encantar pelo rapaz, saindo de sua zona de conforto para aprender de fato como se dá um relacionamento entre homem e mulher.
Como já disse anteriormente, eu subestimei esse livro quando soube de sua premissa. Achei que seria um romance bem cara de sessão da tarde, algo com uma pegada “Uma linda mulher” ao reverso e só. Não poderia estar mais enganada!

As diferenças começam quando a portadora da Síndrome de Aspenger não é estereotipada. Geralmente quando vemos um personagem portador dessa síndrome eles sempre são muito parecidos com o Sheldon do The Big Bang Theory, no entanto, neste livro a personagem não segue esse ‘padrão’ conhecido e que já imaginamos erroneamente.

A autora é portadora da síndrome, então escreve com propriedade, de uma maneira muito real. Uma curiosidade é que a autora descobriu seu diagnóstico já adulta, quando sua filha também foi diagnosticada.

Stella é tudo menos estereotipada. Ela possui sim características dos portadores da síndrome, como dificuldade de contato físico, um pensamento diferente em relação a traquejo social e a situações em que tenha que conviver com desconhecidos dificuldades de relacionamentos afetivos e a famosa “falta de filtro”, ao dizer coisas com uma sinceridade que muitas pessoas não usariam em seu dia a dia, muito menos em determinadas situações. No mais, ela é uma pessoa com uma vida normal, com qualidades e falhas como qualquer ser humano, possuindo também um coração enorme, sempre disposta a ajudar àqueles por quem nutre apreço.

Michael, o personagem masculino, também surpreende. Você começa a ler com um certo olhar por ele ser acompanhante de luxo, no entanto, ao decorrer do livro, você vai conhecendo sua história e vendo como ele é um cara honrado, correto, que sempre luta por sua família. Seus dramas familiares e dilemas pessoais só fazem com que nos apaixonemos ainda mais por esse personagem tão querido.

Os dois juntos tem uma química surreal. Desde o primeiro diálogo eu já percebi como seria um casal fantástico de se acompanhar e ver sua história se desenrolar só me deixou ainda mais encantada e apaixonada pelos dois. A forma como se completam, como se ajudam e respeitam é algo muito bonito de se ver. O carinho que Michael passa a nutrir por Stella e a forma como ele cuida dela, sem sufoca-la ou duvidar de sua capacidade me fez ter vontade de guardar os dois em um potinho. Rs

Uma ressalva importante aqui é sobre as cenas hot que o livro apresenta. São muitas? São! Mas extremamente necessária em um romance onde a personagem está descobrindo sobre sua sexualidade e sobre o prazer. No entanto, vale ressaltar que não são cenas ‘jogadas’ no livro, muito pelo contrário. São cenas necessárias, bem contextualizadas e muito bem escritas.

Este é um romance leve, super gostoso de ler e que ajuda a quebrar o estereótipo que temos dos portadores de Aspenger. A escrita é super fluida, os personagens são muito bem construídos e até mesmo os personagens secundários acabam ganhando um pouquinho do nosso coração (não todos).

Recomendo a leitura a todos vocês com a certeza de estar indicando um ótimo romance que vai conquistá-los. Espero que tenham gostado da resenha de hoje. Não deixem de comentar, ok? Beijos e até o próximo post!

8 comentários:

  1. Que resenha linda!! acho que realmente esse livro deve ser maravilhoso.
    Seu blog é muito bonito.
    sempre voltarei por aqui.
    bjs
    http://escreverdayse.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Que delícia, Polly.
    Eu ainda não conhecia esse livro, mas já me apaixonei por essa história.
    Parece ser ótima. E adorei saber a história da autora!
    Beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    As edições da editora Seguinte são lindas demais. Estou muito curiosa para ver como a autora vai trabalhar os pontos ao longo do enredo com a personagem com Síndrome de Asperger.
    Certamente uma leitura cativante.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  4. Ola!
    Nossa que resenha linda a sua! Confesso para ti que não conhecia o livro, mas agora, eu preciso lê-lo! Amo histórias românticas e gostosas que possuem química e tudo de tal forma que nos deixa envolvidos e apaixonados!
    A Paralela é uma editora que vem me atraindo muito atualmente e esse livro já está de fato na minha lista de desejados!

    beijos
    http://www.livrosetalgroup.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Não sou uma grande apaixonada por romances, mas confesso que volta e meia preciso de algum para tirar o peso de alguma outra leitura mais tensa.

    Estes no estilo sessão da tarde são os que acabam chamando minha atenção, pois são ótimos para me trazer a leveza que busco.

    Ainda não conhecia esta história, mas vou deixar anotado para o momento de respiro!

    ResponderExcluir
  6. Olá, lendo sua resenha acho que fiz certo ao pedir esse livro de presente, rsrs. Achei muito interessante saber que a autora também é portadora da Síndrome de Asperger, podendo falar com propriedade sobre o assunto, e trazendo uma protagonista não estereotipada.

    ResponderExcluir
  7. Olá tudo bem?
    Eu estava curiosa para ler uma resenha sobre esse livro e adorei a sua. Achei a premissa dele bem interessante e me deu vontade de ler, eu até curto cenas hot, mas saber que são muitas me desanima porque acho que tira um pouco o foco do livro, mas se você diz que são necessárias eu acho que dá para relevar e posso até acabar me deixando envolver pela leitura.
    Amei a sua resenha <3

    ResponderExcluir
  8. Vi seu vídeo de Leituras do Mês e corri aqui pra ler a resenha. Estou bem curiosa em como a Sindrome foi abordada e a parte sensual também me deixou curiosa. Já quero ler.
    Beijos

    ResponderExcluir