Resenha #219: A caça


Título: A caça
AutoraM. A. Bennett
Editora: Arqueiro
Nº de Páginas: 240
O ano letivo começou e Greer ­MacDonald está se esforçando ao máximo para se adaptar ao colégio interno onde ela entrou como bolsista. O problema é que a STAGS, além de ser a escola mais antiga e tradicional da Inglaterra, é repleta de alunos ricos e privilegiados – tudo o que Greer não é.
Para sua grande surpresa, um dia Greer recebe um cartão misterioso com apenas três palavras: “caça tiro pesca”. Trata-se de um convite para passar o feriado na propriedade de Henry de Warlencourt, o garoto mais bonito e popular do colégio... e líder dos medievais, o grupo de alunos que dita as regras.
Greer se junta ao clã de Henry e a outros colegas escolhidos para o evento, mas esse conto de fadas não vai terminar da maneira que ela imagina. À medida que os três esportes se tornam mais sombrios e estranhos, Greer se dá conta de que os predadores estão à espreita... e eles querem sangue.
Que a caçada comece!
Olá pessoa, tudo bom com vocês? Após um sumiço ocasionado por uma forte gripe, estou de volta com a resenha de um livro lançado recentemente pela Editora Arqueiro! Que tal conhecer um pouco da minha experiência de leitura com A caça, escrito por M. A. Bennett?
 Neste livro conhecemos a história de Greer Macdonald, filha de um cinegrafista que acaba decidindo ir estudar em um colégio interno para não ficar na casa de uma tia. Devido ao seu bom rendimento escolar, ela acaba conseguindo uma bolsa em uma escola tradicional e conceituada chamada STAGS. A escola é localizada na Inglaterra e tem uma forma um tanto quanto peculiar de lidar com alunos e com tecnologias.


Uma das peculiaridades desta escola são as diversas galhadas de cervo espalhadas por todos os locais, assim como as pinturas de caçadas milagrosas.

Como em toda história que envolve colégios internos, neste existe um grupo, uma elite que se denomina Os Medievais. Eles são vistos como a realeza do colégio e ditam a maneira como os demais alunos devem agir. Os mesmo repelem a tecnologia atual, por considera-la selvagem e agem como medievais, repelindo ao máximo as evoluções tecnológicas de sua vida, o que também é feito pelo colégio e demais alunos.

Acontece que Greer se sente deslocada em meio a esse novo colégio completamente diferente de seu meio de vida. Algo que simplesmente não ajuda é o fato dos alunos também não parecerem muito sociáveis.

No entanto, com a aproximação do Justitium, ela recebe um convite um tanto quanto peculiar para participar de um evento organizado pelos medievais. Neste está escrito “Caça Tiro Pesca” – sem pontuação, sem explicações ou esclarecimentos. O convite fora feito por ninguém mais, ninguém menos que Henry de Warlencourt, o rapaz que é o líder do grupo de elite da escola.

Greer acaba ficando intrigada com o convite, e na tentativa de ser aceita naquele ambiente decide embarcar para aquela experiência sem sequer imaginar que sua escolha marcaria para sempre sua vida, levando-a a uma aventura sinistra.
Quem acompanha o blog sabe que costumo fugir um pouco de histórias que envolvem adolescentes. Isso se dá por geralmente encontrar nesses enredos situações que são tratadas como ‘fim do mundo’ pelos personagens quando na verdade é algo simples de ser resolvido. Sim, eu sei que esta é uma característica bem adolescentes, mas nunca tive muita paciência! Rs

Confesso que o que me levou a ler este livro foi essa premissa super diferente: uma história que se passa nos dias atuais, onde jovens repelem a tecnologia, querer viver à moda antiga e se envolvem em um feriado misterioso, macabro e sangrento.

Pela premissa, achei que teríamos aqui um Thriller de tirar o fôlego, mas não foi bem isso que aconteceu.

O início da história é bem morno. A personagem principal não cativa de cara. Ela tem aquela pose de “não me importo”, mas na primeira oportunidade de ser aceita se joga de cabeça. No início a achei bem rasa. Isso, unido ao fato de que a história não prende de cara, não ajudou muito.
Não me entenda mal. A história flui bem desde o inicio, no entanto, não empolga desde o primeiro momento. Ela não deixa aquele sentimento de “o que vem a seguir?” nos primeiros capítulos.

Quando de fato começa o evento criado pelos Medievais, a coisa vai ficando mais interessante. Você se prende tentando entender o que aconteceu, o que vem a seguir, qual o sentido daquilo tudo.

Em meio a jantares luxuosos, vestidos de baile e muitas informações sobre caça, o livro começa a tomar forma e nos deixar mais interessados no enredo.

Neste ponto alguns personagens são mais interessantes, como é o caso dos medievais, no entanto, eu não senti que os conheci de fato. A impressão que me passou é que faltou profundidade na construção dos mesmos. Ninguém é 'preto no branco' e nem faz as coisas só por fazer. Senti falta que conhecer mais a fundo as personalidades, motivações, histórias pregressas.

Quanto ao final, eu gostei do mesmo. Fiquei intrigada, não consegui fechar o livro antes de conhecer seu desfecho e confesso que o final em aberto me deixou curiosa por sua continuação, que tem potencial para ser excelente.

Enfim! Esta é uma história com potencial que não foi amplamente explorado. É interessante, intrigante em alguns aspectos e tem uma premissa que pode sim render uma boa continuação. No entanto, falta profundidade e aquela ligação que faz o leitor torcer por um personagem ou odiá-lo, algo que pode ser trabalhado no próximo volume, de forma a sanar o que faltou neste primeiro livro da série.  No geral é uma boa história, que flui bem e que é boa para passar o tempo.

Espero que tenham gostado do post de hoje! Não deixem de comentar, ok? Beijos e até o próximo post!

10 comentários:

  1. Oie,
    notei que existe pessoas que gostaram do livro e outras nem tanto, pela história não engrenar logo de cara.
    Eu que curto um suspense adolescente acho que iria gostar bastante..
    Mas vou ser honesta, no momento não vou investir na compra desse livro não

    ResponderExcluir
  2. Oi!
    Eu soube do lançamento desse livro, mas ainda não tinha lido nenhuma resenha sobre ele.
    Vejo ideias interessantes nele, mas só pela sinopse, já é difícil criar um ligação com os personagens.
    Não sei se leria, mesmo gostando do assunto.
    Bjss

    http://umolhardeestrangeiro.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Oi, Polly.
    Terminei de ler esse livro nessa semana... Como ainda tenho que escrever minha resenha, pulei direto para suas impressões e concordo com você: esse livro começa meio morno, mas depois fica bem interessante! Eu queria ter visto a autora explorar mais coisas, mas até que valeu por ser o primeiro livro... Bom, se é que vai ter mesmo continuação... Rs!
    beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  5. Olá!

    Nossa, confesso que estava bem curiosa para ler esse livro, a premissa me agrada bastante, é no estilo que eu gosto.
    Uma pena você não ter gostado do livro, vou aguardar lançar a continuação para lê-lo, espero gostar pelo menos um pouquinho rs

    ResponderExcluir
  6. Oi, eu acho a premissa interessante, me lembra Um de nós está mentindo. Isso do não uso da tecnologia também é curioso. Pena que o livro não cativa logo de cara. Mas é uma leitura que até penso em fazer futuramente. Gostei de conferir sua opinião.

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Eu gostei dessa leitura, achei algumas coisas previsíveis, mas a parte da pesca e os momentos finais foram mais eletrizantes e a autora me deixou curiosa para a continuação.
    Acredito que como adaptação tem tudo para ganhar admiradores pra obra.

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  8. Menina, eu sou apaixonada por histórias de adolescentes hahaha de verdade, porque de certo modo, acabo entendendo um pouquinho da complexidade deles, mas entendo seu lado, vez ou outra pode ser chato realmente. Essa obra é totalmente diferente do que eu imaginei que fosse e isso me surpreendeu bastante, mesmo personagem não sendo tão cativante assim de início, dica anotada!

    ResponderExcluir
  9. Já tinha lido outras resenhas deste livro e elas foram bem elogiosas. A sua me pareceu mais centrada e você argumentou bem os fatos que não te agradaram muito e acho que minha experiencia de leitura seria bem parecida com a sua se de fato eu não conseguisse me envolver com os personagens.
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Olá tudo bem?
    Assim como você também evito livros assim justamente por adolescentes serem dramáticos e livros que os abordam acabam sendo tão rasos quanto. Mesmo assim, tentei me desprender dos meus pré-julgamentos enquanto lia a sua resenha. Apesar de ter gostado muito do jeito que você expôs a história, a mesma não me agradou.
    Pra evitar futuras decepções, dessa vez vou deixar passar a dica.
    Bjs

    ResponderExcluir