Resenha #239: Algo Maravilhoso


Título: Algo Maravilhoso
AutorJudith McNaught
EditoraVerus Editora
Nº de Páginas: 406
Alex sabe que é diferente das outras garotas. Após a morte do pai, viu a situação financeira da família caminhar perigosamente rumo ao abismo, e coube a ela se tornar “o homem da casa”. Apesar das dificuldades, Alex ainda crê que alguma coisa extraordinária possa acontecer. No entanto, salvar a vida do belo Jordan Townsende, duque de Hawthorne e um famoso libertino, não estava em seus planos, assim como casar com a jovem que o livrara de uma bala no peito não estava nos de Jordan. O duque tem uma dívida com a srta. Lawrence... E ele nunca deixa de quitar seus débitos. Estabelecê-la em uma de suas propriedades, no interior, e, então, retornar a Londres e à cama de suas amantes parece ser o arranjo perfeito. Sua rotina não precisa ser abalada. Exceto que o espírito livre de Alex cativa Jordan, profunda e rapidamente. Um pouco tarde demais, o duque percebe que seu coração de pedra não é tão duro quanto imaginou, e sua esposa pode ser um perigo muito maior que aquela bala.
Olá pessoal, tudo bom com vocês? No início do ano tive meu primeiro contato com a escrita da Judith McNaught e vocês sabem que foi bem controverso. Como sou brasileira e não desisto nunca, resolvi dar uma chance para a autora, através do segundo volume desta trilogia e hoje venho contar para vocês o que achei. Que tal conferir minhas impressões de leitura sobre Algo Maravilhoso?
 Neste livro conheceremos a história de Alex, uma mulher otimista, de bom coração que está sempre disposta a ajudar os outros. É por ter esta boa vontade que ela acaba se envolvendo com Jordan.

Em um dia, voltando da casa de sua amiga, trajando uma armadura, ela vê um homem em perigo e sem pensar o ajuda a se livrar de bandidos.

Ela acaba se machucando na queda e ele, acreditando se tratar de um garoto, acaba levando-a para uma estalagem para que possa ajuda-la.

Qual é a surpresa de Jordan quando ele descobre que por baixo daquela vestimenta encontra-se uma mulher.

Logo o resgate vira uma tremenda fofoca, que marca a honra de Alex. Persuadido pela família da moça, O Duque decide se casar com ela, estabelece-la em uma propriedade e continuar vivendo sua vida de libertino sem qualquer empecilho.

Com o convívio, Jordan vai começar a ser cativado pelo espírito livre e pela sinceridade de sua esposa, no entanto, a vida ainda reserva muitas surpresas para nossos protagonistas, levando-os a extremos. Em meio a contratempos, desconfianças e mistérios, ainda haverá espaço para o amor dos dois?
Quando vi este livro sendo lançado pela caixa de assinatura da Carina, logo fiquei curiosa. Uma das minhas autoras nacionais favoritas estava indicando um romance de época. Era quase certo que eu iria amar.

No entanto, antes desse volume  foi lançado "Agora e Sempre" e minhas expectativas caíram por terra. Foi um livro controverso para mim e o mocinho realmente teve atitudes repugnantes que me incomodaram muito.

Eis que recebo este segundo livro da editora. Com raiva do mocinho anterior, comecei este livro na força do ódio e qual foi minha surpresa quando já no inicio do livro me vi presa à trama e a seus personagens.

Alex é uma mocinha diferente. Fisicamente ela tem um porte esguio, de uma mulher que ainda não se desenvolveu. Isso faz com que ela tenha a aparência de um menino, o que confunde Jordan em um primeiro momento. Ela é aquele tipo de personagem que de quem começamos a história gostando e terminamos querendo abraçar, tamanha sua evolução. Ela começa o livro como uma jovem e vemos ela se transformar em uma mulher decidida, que sabe o que quer e principalmente, que sabe que merece mais que poucas migalhas do afeto de alguém.

Jordan é o típico libertino que pensa que as mulheres são descartáveis. O relacionamento de seus pais foi conturbado e sem qualquer respeito, o que o fez enxergar o matrimônio como algo apenas conveniente. No começo do livro temos vontade de dar uns bons sopapos nele. Bem, no início e ao decorrer dele né?! O Jordan é um daqueles personagens cheio de pose, mas que no fundo é super inseguro e acaba fazendo várias bobagens devido à insegurança. No entanto, o que mais me encantou nesse personagem é ver que ele, mesmo aterrorizado e inseguro, conseguiu abrir seu coração para novos sentimentos e experiências. Ele não é perfeito – longe disso – mas é um personagem que beira muito ao real e eu simplesmente adorei isso.

O relacionamento entre os dois é algo que vai surgindo aos poucos. Ela se encanta por ele de cara, mas ele sequer se imaginaria casado com ela. Os dois vão aprendendo a se gostar e muitas coisas acontecem. Para não dar spoilers, vamos dizer que temos aqui neste livro um casal com muita química, extremamente turbulento e que tem um longo caminho a traçar se quiserem ficar juntos, nos rendendo um belo romance, cheio de cenas apaixonantes, cômicas, revoltantes e emocionantes.
Em meio a uma escrita que envolve e flui maravilhosamente bem, enredando o leitor em sua trama, temos uma história com diversas reviravoltas e mudanças que deixam tudo muito mais dinâmico, fazendo com que a leitura de suas 406 páginas mal seja sentida.

Além de tudo o que já disse, não posso deixar de destacar os personagens secundários, que abrilhantam a trama e deixam tudo mais leve ou intenso em alguns momentos. Em meio a empregados fofoqueiros, parentes cheios de boas intenções que as vezes falam demais e uma matriarca nobre com uma pose aristocrática fria e sem coração, mas que na verdade é um amorzinho, vamos nos encantando cada vez mais com esta história, que acabou por ganhar meu coração por completo.

É por ter amado tanto este livro que recomendo-o hoje a todos vocês. Espero que tenham gostado da indicação. Não deixem de comentar, ok? Beijos e até o próximo post!

3 comentários:

  1. Olá, tudo bem? Não li nada da autora ainda, mas tenho lido inúmeras resenhas positivas sobre as suas obras e tenho me interessado cada dia mais, mesmo sendo um gênero que não leio com frequência acho que vale a pena dar uma chance.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  2. OI! TUdo bem?

    Lamento que seu primeiro contato com a obra da autora não tenha sido maravilhoso, mas eu gostei da sinopse, do enredo e da temática em si. Na verdade, ando muito nessa vibe sabe? De romances de gênero e financeiramente tá complexo adquirir a obra. Obrigada!!

    Beijos!

    https://pensaliterario.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Fico muito feliz em saber que você apreciou tanto esta leitura. Eu sou fã incondicional da Judith McNaught e amo quando vejo novas resenhas positivas sobre seus livros. Entendo seus motivos para não ter gostado de Agora e Sempre, embora eu própria tenha perdoado o Jason e torcido muito por sua felicidade ao lado da Victoria.

    Jordan e Alex conquistam nosso coração. Nunca pude esquecer as cenas próximas ao final, quase morri do coração naquele momento e me emocionei muito com o desespero do Jordan.

    Mas meu livro preferido dessa trilogia é Alguém para Amar. Espero que você se apaixone por Elizabeth e Ian!

    Bjs!

    ResponderExcluir