Resenha #143: Vacas

Título: Vacas
AutorDawn O’ Porter
Editora: Harper Collins
Nº de Páginas: 336


Um pedaço de carne; feito para reproduzir; além da sua data de vencimento; parte do rebanho. Mulheres não têm que se encaixar em estereótipos. Tara, Cam e Stella são estranhas vivendo suas próprias vidas da melhor forma que podem, apesar de poder ser difícil gostar do que você vê no espelho quando a sociedade grita que você devia viver de um jeito específico. Quando um evento extraordinário cria laços invisíveis de amizade entre elas, a catástrofe de uma mulher vira a inspiração de outra, e uma lição para todas. Às vezes não tem problema não seguir o rebanho. Vacas é um livro poderoso sobre três mulheres julgando uma à outra, mas também a si mesmas. Entre todo o barulho da vida moderna, elas precisam encontrar suas próprias vozes.

Olá pessoal, tudo bom com vocês? A resenha de hoje é do livro Vacas, lançamento da Harper Collins. Foi meu primeiro contato com a escrita de Dawn O’ Porter e venho trazer para vocês minhas impressões de leitura. Vamos falar um pouco sobre esta obra?


O livro de hoje é um livro bem diferente do que eu costumo trazer aqui, apesar de vocês já terem me ouvido falar sobre livros com essa temática no canal. Vacas traz a história de três mulheres e várias discussões sobre o feminismo. Não, por favor, não torça o nariz ainda!

Quando escutamos ou lemos essa “palavra” feminismo, temos a tendência de pensar em pessoas radicais que seguem o movimento, mas, este livro não o aborda dessa maneira! O livro o aborda através da história de três mulheres totalmente diferentes, que acabam tendo seus destinos interligados pela catástrofe que ocorre com uma delas.


Toda novilha é um pedaço de carne, meramente uma fonte de produção em potencial. Mas, pelo visto, não oferecem muita coisa além disso... Algumas pessoas dizem que isso se reflete em nossa sociedade e no modo com enxergamos as mulheres. Ou não. Existem vários tipos de mulheres, e todo esforço é necessário para que elas não sejam vistas apenas como novilhas ou vacas. Mulheres não precisam se encaixar em estereótipos. Vacas não precisam seguir o rebanho.”

A primeira história é a de Tara, um produtora em uma empresa que produzir comentários. Seu ambiente de trabalho é extremamente misógino, fazendo com que Tara tenha que demonstrar duas vezes mais força e capacidade que qualquer um dos homens que trabalhem com ela para tentar ser levada a sério. A mesma é uma excelente profissional, mãe solteira e tem verdadeira paixão por sua filha, sempre a colocando em primeiro lugar. Apesar de tudo isso que já disse, o fato de ser mãe solteira faz com que as demais mães das colegas de sala de sua filha a julguem a todo momento.

Após uma noite em que ela acaba fazendo algo que viraliza nas redes, passa a ser julgada não só no ambiente virtual, mas praticamente por todos a sua volta(não vou falar o que é ou discutir a questão por ser spoiler).

A segunda mulher que conhecemos através dessa história é Camilla Stacey, que prefere ser chamada de Cam. Ela é uma influenciadora digital que emite opiniões fortes sobre o feminismo em seu blog.  Trinta e seis anos, solteira, feliz e sem intenção alguma de ser mãe. Algumas pessoas a seu redor acreditam que a sentença anterior é impossível, pensamento que ela sempre tenta desmistificar em suas postagens. Após um texto muito sincero onde afirma que a mulher não pode ser definida pela sociedade apenas por ser mãe, ela acaba criando uma verdadeira polêmica na sociedade britânica, chegando a ser apelidada por alguns jornais de “Rosto da Mulher sem filhos”, o que não a incomoda nem um pouco.

A terceira mulher que nos é apresentada é Stella, assistente pessoal de um fotógrafo que descobre que possui o gene BRCA, responsável pelo câncer de mama e ovário, tendo 85% de chance de desenvolver a doença, motivo pelo qual precisa fazer cirurgias para retirá-los caso queira diminuir as chances de ter câncer. A questão é: ela não poderá mais ter filhos depois disto. Essa possibilidade não havia passado por sua cabeça ainda, mas, devido a situação em que se encontra, surge uma grande vontade de ter filhos, e isso tem feito com que seu relacionamento desmorone devido a pressão.

Apesar de não parecer possível, Dawn Porter consegue interliga-las em Vacas, abordando diversas questões como feminismo, liberdade individual, amor próprio, aborto, preconceito no trabalho, dentre vários outras, que nos fazem refletir sobre nossa atual sociedade e sobre nossas próprias atitudes.


Desde que li Sejamos todos feministas, da Chimamanda, tenho me interessado cada vez mais por obras que abordem premissas feministas. Acredito que muitas coisas só vão mudar em nossa sociedade se a debatermos constantemente (observem que eu disse debater rs).Foi por isso que me interessei tanto por esta obra, pois acredito que todo empoderamento é necessário sim!

Este livro tem essa função. É uma narrativa série, consistente e que “toca na ferida”, vez que vários dos temas aqui abordados são considerados tabus em nossa sociedade, dando voz a um movimento necessário que vem ganhando força.

Vemos uma mulher qualificada tendo sua capacidade questionada apenas por ser mulher. Vemos uma mulher ser definida por uma única atitude errada por toda sociedade, chegando a ser questionada por todas as suas atitudes anteriores àquele erro e se sentindo acuada com todo o julgamento que vem recebendo “das pessoas de bem” (percebam as aspas por favor rs). Vemos mulheres julgando umas às outras a todo momento, se tratando como inimigas. Vemos uma mulher ser vista com maus olhos apenas por se aceitar como é e ser feliz com isso, sendo acusada de diversas formas, ainda que tente ajudar outras mulheres com suas palavras. Vemos a felicidade alheia incomodar, gerar ódio.

Sabe o que é mais incômodo nisso tudo? É que isso está presente em nosso dia a dia. Todo esse julgamento, todo esse ódio gratuito e todas essas atitudes que questionam nossa capacidade apenas por ser mulher está incutida em nossa sociedade e este é um livro que “esfrega” isso em nossa cara, nos fazendo ter um choque de realidade para tudo que ainda está errado e que as vezes preferimos ignorar.

Em meio a posts do blog de Cami, diálogos e pensamentos, vemos diversos temas serem abordados, às vezes de forma incômoda, as vezes leve, mas, que nos fazem questionar muitas coisas. Aqueles pensamentos não foram jogados ali ao acaso, eles foram feitos para desconstruir e desmistificar e isso é simplesmente incrível.

Quero esclarecer que isso não quer dizer que concordo com tudo o que li, mas que me fez refletir sobre minhas opiniões e atitudes e isso fez com que eu apreciasse a leitura e a achasse super válida.

Entretanto, mesmo em meio a esse enredo empoderador, preciso ressaltar alguns pontos que me incomodaram ao decorrer da leitura, apesar de não desaboná-la.

O primeiro deles é algo que me incomoda inclusive em muitos livros eróticos (que não é o caso desse livro, a propósito – não se trata de uma trama erótica): o uso de camisinha. Agora você deve estar pensando: sério, Pollyanna? E te digo, sim! Vemos uma personagem que engravidou por acidente, que já pegou dst e ainda assim não aprendeu os riscos da falta do uso de preservativo. E não é só ela, todas as outras também. Ter relações sexuais com um estranho sem se preocupar em contrair uma doença vai de encontro com todas as campanhas que vemos e que são extremamente importantes. Autores deviam tomar mais cuidado com isso em seus livros para não passar uma mensagem errada.

Outro ponto que me incomodou foram as atitudes em relação a uma certa personagem e a forma como a autora lidou com ela. Apesar do desfecho interessante, acredito que deveria ser mais explícito que as atitudes da personagem eram doentias e que a mesma necessitava de um acompanhamento profissional. Não me entendam mal, as atitudes não são ignoradas na trama nem saem impunes, mas, acredito que as consequências em relação a elas não foram tão bem abordadas. Ela em um ponto é vista como uma vilã e no entanto, é muito mais que isso, é alguém que precisa urgentemente de ajuda.

Mesmo com estas duas ressalvas, deixo deixar claro que é uma história muito bem desenvolvida, fluida e reflexiva. A editora caprichou na edição que contém uma capa linda, folhas amarelas, uma excelente diagramação e revisão.

Enfim! É uma história feita para desconstruir e desmistificar, como já dito. É um enredo feito para refletir, para ser lido com atenção a cada uma das mensagens que vão chegando, às vezes explicitamente e em alguns casos nas entrelinhas. Recomendo a todos que gostem da temática e que tenham mente aberta para lê-lo. Pode ter certeza, se der uma chance, este livro vai te surpreender. 


22 comentários:

  1. Ameeeeeei as fotos!
    Eu tô lendo esse livro no momento, e adorei ler suas impressões, porque eu tô adorando.
    Eu imagino quem seja essa personagem que precisa de ajuda, e que pena que não foi bem trabalhado essa questão no final.

    Virando Amor

    ResponderExcluir
  2. Oi, Pollyanna! Achei muito interessante esse livro, desde a capa e contra-capa até a história. Caramba, deve ser um soco no estômago daqueles a leitura. Gostei muito e, apesar das suas ressalvas, decidi que vou ler.
    Bjos!
    Por essas páginas

    ResponderExcluir
  3. Sou contra qualquer tupo de ISMO, seja pra gênero ou religião. Sou mulher, sei como é difícil isso hoje em dia, vivemos em um retrocesso inenarrável, mesmo assim não gosto de nada que "puxe sardinha" para qual lado que seja.
    Não me julgue, mas dessa vez eu passo a dica rs.

    Beijos.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Olá, eu estou muito interessada nesse livro é a segunda vez que a resenha dele me chamou atenção. Ele já está na minha lista

    ResponderExcluir
  5. Oie!

    Todos estão falando super bem desse livro, mas toda a vez que leio uma resenha sobre a obra paro e penso: tudo isso só por isso!? Sla a proposta da obra não desperta meu interesse e por isso passo a dica!

    Bjss

    ResponderExcluir
  6. Oi.

    Não conhecia este livro ainda. Achei super interessante o enredo dele. Nunca li nada parecido e nem sobre feminismo. Tenho me interessado pelo assunto, então este, talvez, seja um bom livro para ler sobre o assunto. Vou procurar mais sobre o livro e vou tentar comprar depois.

    ResponderExcluir
  7. Oi, tudo bem?
    Eu não conhecia esse livro, mas fiquei bastante curiosa para ler. Amo livros que abordem o feminismo e tragam personagens femininas fortes e empoderadas. Parece que a autora soube abordar muito bem o tema, apesar das suas ressalvas. Aliás, essa questão que você falou da camisinha eu concordo muito. Já vi em alguns livros as personagens deixando de lado a camisinha só porque estavam tomando pílula, como se o único risco do sexo sem camisinha fosse uma gravidez indesejada.
    Enfim, apesar das ressalvas que você fez, fiquei muito interessada em ler este livro. Achei interessante a premissa e as histórias dessas três mulheres, e fiquei curiosa para saber como elas se entrelaçam.
    Adorei a resenha e já anotei a dica.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Eu não conhecia o livro e já estou aqui, super tocada pela pertinência que a hist´roia traz. Adorie o jeito que você descreveu o enredo e principalmente a forma como você descreveu a personagem. Isso ainda vai acontecer muito, mas quanto mais pessoas se conscientizarem da igualdade, mais perto estaremos de uma sociedade equilibrada.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Me interessei muito no livro, não conhecia mas agora que sei da existência preciso dele na minha vida. Sendo sincera é um tema que tem me instigado bastante. A resenha foi ótima e me identifiquei com a segunda personagem totalmente <3 Mas espero pegar o livro e devorar.
    ps: amei as fotos.

    ResponderExcluir
  10. Oi, tudo bem? No primeiro momento, só lendo o título da capa, sei lá porquê, imagem ser algo sobre E.Ts (rs). Mas lendo capa sinopse, impressões... uau q livro interessante. Eu não lembro de ter lido nenhum livro com tema feminismo. Mesmo o da Chimamanda, que você mesma cita, eu ainda não li. Quanto as questões que levantou que te desagradaram, com exceção da personagem que não consegui identificar o que era, acho extremamente importante. Eu não leio livros hot, então nem imagino como tratam a relação sexual, mas se por algum motivo deixam de falar de camisinha, é bem complicado mesmo. amei a dica.

    ;D
    Nelmaliana Oliveira

    ResponderExcluir
  11. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  12. Olá, tudo bom?

    Ainda não conhecia o trabalho de Dawn O'Porter, mas a história é bem diferente do que eu imaginei ao ver a capa e o título. Acho que estamos no momento perfeito para discutir sobre feminismo e é bom que tenham autores que tragam histórias que debatam o tema. Não sei como a história consegue interligar personagens tão diferentes, porém é ótimo já que tratam-se de assuntos importantes a serem abordados e são três mulheres que são diferentes.
    É horrível que somos julgados o tempo inteiro, mas por sermos mulheres, esse julgamento aumenta ainda mais. Quando falamos sobre feminismo, as pessoas viram a cara achando ser um movimento de ódio, sem entender que só queremos uma sociedade justa para todos.
    É uma pena que a autora não trouxe uma obra perfeita, já que há as ressalvas que você colocou. Realmente, em pleno 2017 e as pessoas esquecem da camisinha? Entendo os adolescentes ou pessoas que não possuem conhecimento não saber utilizá-las corretamente, mas com o tanto de campanhas que temos não é correto. Ainda mais para uma pessoa que já pegou uma doença sexualmente transmissível, né?


    Enfim, eu sei que quero ler, mas entendo os pontos que você citou. Adorei a resenha, obrigada pela dica :)
    Abraços.

    https://instantesmemoraveis.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Olá! Eu não conheço o autor e realmente ainda não tinha ouvido falar dessa obra. Infelizmente o livro não faz o meu estilo, mesmo que aborde diversos temas. Mas eu realmente adorei a sua resenha, deu pra entender bastante sobre a obra em sua ❤️

    ResponderExcluir
  14. Acho muito importante quando a resenha expressa aquilo que sentimos ao lermos o livro. A sua resenha está perfeita na minha opinião, você fez ressalvas onde necessárias e isso torna o livro uma grande incógnita que desperta a curiosidade.
    Isso sem mencionar essas fotos maravilhosas.
    Adorei!
    Beijos
    www.manuscrito.com.br

    ResponderExcluir
  15. Olá!!
    Amei as fotos tumblr que você criou... você é mestre nisso, adorei! haha
    Sobre o livro em si, achei o título e a capa bem curiosos, confesso que não o conhecia e também tenho que dizer que infelizmente esse livro não faz muito o meu estilo de leitura, prefiro leituras mais leves sabe? Achei interessante as ressalvas que fez e da forma que nos instigou a ler.

    beijos
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
  16. Oi Polly, tudo bem?
    Estou com esse livro em casa para ler. Já comecei, mas não dei andamento. Confesso que sua resenha me animou e me desanimou. Fiquei meio assim com os pontos que você levantou, pois a questão da camisinha também me incomoda. E fiquei com medo de o que aconteceu com essa outra personagem. Entretanto, o livro parece ser tão empoderador tão bacana que é impossível não querer ler.
    Beijos,
    http://www.umoceanodehistorias.com/

    ResponderExcluir
  17. Oi, Polly!
    Não conhecia o livro, mas gostei muito da premissa e do tema abordado. O empoderamento feminino está em bastante evidência e eu gosto muito de ler sobre o assunto, acho que é uma leitura que me agradaria muito. Anotei a dica para ler assim que puder.

    Beijos,

    Rafa [ blog - Fascinada por Histórias]

    ResponderExcluir
  18. Oie, tudo bom?
    Essa capa é maravilhosa, assim como o tema tratado.
    E eu AMO essas histórias interligadas, que acabam trazendo personagens ao mesmo cenário por meio de um enredo bem elaborado. Parabéns pela resenha, esse já foi pra minha lista!

    ResponderExcluir
  19. Oi!
    Eu achei incrível esse livro também, em tempos que discutimos tanto sobre feminismo e sororidade esse livro cai como luva para nos mostrar que juntas somos melhores.
    Adorei os temas abordados no livro, e com certeza quero mais dessa autora aqui no Brasil

    ResponderExcluir
  20. Oiee Polly ^^
    Eu ainda não conhecia esse livro, mas fui conquistada já na sinopse. Achei interessante o fato de a autora ter inserido três protagonistas mulheres, cada uma com seus problemas (todos eles importantes e com um quê de machismo no meio). Só é triste a mancada da falta de camisinha, mas tudo bem. Espero gostar também.
    MilkMilks ♥
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  21. Ola lindona estou bem curiosa com esse livro, e todo tema sobre empoderamento deve ser lido e tratado de maneira real a todo leitor. Uma pena ter algumas ressalvas, com o elogio sobre a história ser bem construída me instiga a ler. beijos

    Joyce
    Livros Encantos

    ResponderExcluir
  22. Pollyanna, que publicação maravilhosaaa! Adorei a sinopse, a sua resenha e a ideia de um livro que fala de feminismo e os desafios inseridos no cotidiano e nos caminhos da vida de tantas mulheres. Eu vou amar essa leitura e já estou anotando com muitas estrelinhas aqui.
    Bjs

    ResponderExcluir