Resenha #185: A duquesa feia


Título: A duquesa feia
AutoraEloísa James
Editora: Arqueiro
Nº de Páginas: 271
Baseado na história O Patinho Feio, esse é o terceiro volume da série Contos de Fadas.
Como ela ousa achar que ele a ama, quando Londres inteira a chama de Duquesa Feia?Theodora Saxby é a última mulher com quem se poderia esperar que o lindo James Ryburn, herdeiro do ducado de Ashbrook, se casasse. Mas depois de um pedido romântico feito na frente do próprio príncipe, até a realista Theo se convence de que o futuro duque está apaixonado.
Ainda assim, os tablóides dizem que a união não durará mais do que seis meses.
Em seu íntimo, Theo acredita que os dois ficarão juntos para sempre… até que ela descobre que o que James desejava não era seu amor, mas seu dote.E a sociedade, que primeiro se chocou com seu casamento, se escandaliza com sua separação.Agora James precisará enfrentar a batalha de sua vida para convencer Theo que ele amava a patinha feia antes que ela se transformasse em cisne. E Theo logo descobrirá que, para um homem com alma de pirata, vale tudo no amor – e na guerra.

Olá pessoal, tudo bom com vocês? Hoje é dia de resenha de romance de época aqui no Entre Livros e Personagens! Que tal saber um pouco sobre minhas impressões de leitura com A duquesa feia, da autora Eloísa James?
Neste livro conhecemos a história de Theodora Saxby e James Ryburn. Ela é a herdeira de uma das maiores fortunas que circula na temporada e ele é o futuro herdeiro de um ducado falido. Os dois são melhores amigos de infância e ele sempre viu Theo, ou Dayse, como ele prefere chama-la, como uma irmã.

_ Não me interessa se a mocinha é feia como o pecado. Você vai conquistá-la. Vai fazer com que ela se apaixone por você. Do contrário, não terá nenhuma propriedade para herdar. Nada!

No entanto, persuadido pelo pai, ele resolve seduzir Theo para evitar que se descubra uma fraude cometida por seu genitor. Após uma bela declaração pública de amor, a moça se descobre apaixonada por ele e acaba convencida de que o sentimento é recíproco, no entanto, a felicidade não dura muito e ela acaba por descobrir toda a farsa.

Aos 19 anos, James pensava ter entendido seu lugar na vida. Havia aprendido as lições mais importantes: como montar a cavalo, beber sem perder a compostura e se defender em um duelo.
Mas ninguém lhe ensinara - e ele jamais imaginara ser necessário aprender - como trair a única pessoa com quem se importava na vida. A única pessoa que realmente amava. E como partir o coração dessa pessoa - no dia seguinte ou dentro de cinco ou dez anos.

Apesar de ter cedido à pressão do pai, Jame realmente s ama Theo, no entanto, acaba por obedecê-la quando ela o manda embora de sua vida.

Anos se passam e muitas coisas mudam, inclusive em relação à partida de James. Agora ele está de volta, completamente mudado, e precisa provar para a moça que a ama de fato e que os dois são perfeitos juntos, no entanto, sua maior missão é fazê-la acreditar.
 Que eu adoro essa série de releituras não é novidade. Os dois livros anteriores, resenhados aqui no blog, me ganharam por completo, fazendo com que me apaixonasse pela escrita fluida e envolvente de Eloísa James e confesso que comecei essa leitura cheia de expectativas, esperando ser arrebatada novamente por um de seus livros, no entanto, não foi bem isto que aconteceu.


Até o final da primeira parte do livro, eu estava simplesmente adorando! A escrita estava fluindo super bem, os personagens estavam interessantes e eu previa uma trama intensa, dramática e apaixonante, no entanto, foi na segunda parte do livro que a coisa começou a desandar.

Enquanto Theo se tornava uma personagem forte que eu admirava, James começou a se tornar para mim um personagem morno, sem sal nem açúcar. As partes em que eram narradas com foco na vida de nossa protagonista me enchiam os olhos, enquanto as partes de James me davam sono.

O resultado dessa combinação? A história acabou se tornando morna na segunda parte. Os personagens secundários foram perdendo seu papel, a trama perdeu um pouco seu ritmo e o clima que existia entre no casal no começo se perdeu bastante, a meu ver.

Apesar de alguns diálogos incríveis e da personagem feminina que evoluiu tanto, a segunda parte do livro não conseguiu me fisgar por completo e acabou sendo apenas boa. Aquela faísca entre o casal que existiu na primeira parte ainda estava ali, cada vez que os mesmos estavam juntos, no entanto eu como leitora já não sentia que ele era o melhor para ela e isso me incomodou um pouco.

Em suma é um romance bom, com uma ótima primeira parte, um final meio corrido e uma protagonista feminina formidável.

Theo soube tomar as rédeas da sua vida quando tudo desmoronou e soube usar da decepção como um combustível para alcançar tudo aquilo que almejava, e por ela acredito que você leitor de romance de época deveria ler este livro.

Claro, que esta é só minha opinião e conheço pessoas que simplesmente amaram o livro, então espero que façam a leitura para tirarem suas próprias conclusões, afinal, é como sempre digo: pode não ter funcionado tão bem para mim, mas pode ser uma excelente leitura para você!

E foram estas as considerações de hoje, pessoal! Espero que tenham gostado e que comentem o que acharam, ok? Beijos e até o próximo post!

Entre Livros e Filmes: A sociedade literária e a torta de casca de batata


Olá pessoal, tudo bom com vocês? Hoje é dia de Entre Livros e Filmes e venho falar de uma adaptação literária que simplesmente amei: A sociedade literária e a torta de casca de batata! O filme estreou em 10 de agosto de 2018, como uma produção independente da Netflix e é um presente para nós leitores. Que tal saber um pouco mais sobre este longa?

Resenha #184: Mais que amigos


Título: Mais que amigos
AutoraLauren Layne
Editora: Paralela
Nº de Páginas: 222
Será que vale a pena arriscar uma grande amizade em troca de um amor inesquecível?
Aos vinte e dois anos, a jovem Parker Blanton leva a vida que sempre sonhou. Tem um namorado inteligente e responsável, um emprego promissor e a companhia de seu melhor amigo, Ben Olsen, com quem divide um lindo apartamento. Parker e Ben são tão grudados que muita gente duvida que eles morem sob o mesmo teto sem nunca ter vivido um caso, mas eles não se importam com o que as pessoas pensam. Sabem que não foram feitos um para o outro — pelo menos não para se envolver. Por isso, quando um acontecimento inesperado faz com que Parker se veja sem namorado e com o coração partido, ela sabe que pode contar com Ben para ajudá-la a sacudir a poeira e partir para outra. Afinal, ninguém seria mais ideal do que seu melhor amigo para lhe mostrar os prazeres da vida de solteiro… certo? Mais que amigos é uma comédia romântica 

Olá pessoal, tudo bom com vocês? Quem aí está à procura de um livro levinho, daqueles bem gostosinhos de ler?! Vamos falar então sobre Mais que amigos, uma leitura leve, fluida, agradável e bem rapidinha!

Resenha #183: Mudbound - Lágrimas Sobre o Mississippi


Título: Mudbound – Lágrimas Sobre o Mississippi
AutoraHillary Jordan
Editora: Arqueiro
Nº de Páginas: 272
Um amor proibido, uma traição terrível, uma agressão selvagem. Um romance de força impressionante, que nos faz mergulhar nas contradições do Mississippi pós-Segunda Guerra Mundial.
Ao descobrir que o marido, Henry, acaba de comprar uma fazenda de algodão no Sul dos Estados Unidos, Laura McAllan, uma típica mulher da cidade, compreende que nunca mais será feliz. Apesar disso, ela se esforça para criar as filhas num lugar inóspito, sob os olhos vigilantes e cruéis de seu sogro.
Enquanto os McAllans lutam para fazer prosperar uma terra infértil, dois bravos e condecorados soldados retornam do front e alteram para sempre a dinâmica não só da fazenda, mas da própria cidade. Jamie, o jovem e sedutor irmão de Henry, faz Laura de repente renascer para a vida, enquanto Ronsel, filho dos arrendatários negros que trabalham para Henry, demonstra uma altivez que não será aceita facilmente pelos brancos da região.
De fato, quando os jovens ex-combatentes se tornam amigos, sua improvável relação desperta sentimentos violentos nos habitantes e uma nova e impiedosa batalha tem início na vida de todos.
Alternando a narrativa entre vários pontos de vista, este premiado romance oferece ao leitor diferentes versões dos acontecimentos. Os personagens, lutando por sentimentos de amor e honra num lugar e época brutais, se veem dentro de uma tragédia de enormes proporções e encontram redenção onde menos esperam.
 Olá pessoal, tudo bom com vocês? Hoje venho com a resenha de um livro forte, emocionante e que nos apresenta um Mississippi pós Segunda Guerra Mundial repleto de racismo e segregação racial. 
Que tal conhecer um pouco sobre Mudbound – Lágrimas sobre o Mississippi, da autora Hillary Jordan?

Resenha #181: Dias de Despedida


Título: Dias de Despedida
AutoraJeff Zentner
Editora: Seguinte
Nº de Páginas: 392
"Cadê vocês? Me respondam."
Essa foi a última mensagem que Carver mandou para seus melhores amigos, Mars, Eli e Blake. Logo em seguida os três sofreram um acidente de carro fatal. Agora, o garoto não consegue parar de se culpar pelo que aconteceu e, para piorar, um juiz poderoso está empenhado em abrir uma investigação criminal contra ele. Mas Carver tem alguns aliados: a namorada de Eli, sua única amiga na escola; o dr. Mendez, seu terapeuta; e a avó de Blake, que pede a sua ajuda para organizar um “dia de despedida” para compartilharem lembranças do neto. Quando as outras famílias decidem que também querem um dia de despedida, Carver não tem certeza de suas intenções. Será que eles serão capazes de ficar em paz com suas perdas? Ou esses dias de despedida só vão deixar Carver mais perto de um colapso — ou, pior, da prisão?
Olá pessoal, tudo bom com vocês? Quem é vivo sempre aparece, não é mesmo? rs Após uma sumida básica causada por uma prova, aqui estou eu de volta para falar de um livro que foi uma verdadeira surpresa para mim! Que tal saber um pouquinho sobre Dias de Despedida, do autor Jeff Zentner?