Resenha #227: Um casamento americano


Título: Um casamento Americano
AutoraTayari Jones
Editora: Arqueiro
Nº de Páginas: 228
Os recém-casados Celestial e Roy são a personificação do sonho americano e do empoderamento negro. Mas um dia os dois são separados por circunstâncias imprevisíveis: Roy é condenado a doze anos de prisão por um crime que Celestial sabe que ele não cometeu.
Mesmo impetuosa e independente, Celestial é dominada pelo desamparo e busca conforto nos braços de um amigo de infância.
Quando a condenação de Roy é anulada repentinamente depois de cinco anos, ele sai da prisão pronto para retomar a vida com a esposa.
Um casamento americano lança um olhar perspicaz ao coração e à mente de três pessoas unidas e separadas por forças além do seu controle, e que precisam lidar com o passado enquanto seguem – com esperança e dor – em direção ao futuro.
Olá pessoal, tudo bom com vocês? Recentemente a editora Arqueiro lançou um livro que foi publicado originalmente no Brasil pela Tag. Eu estava super curiosa para conferir a leitura de Um casamento Americano desde seu primeiro lançamento, então, quando anunciado eu mais que depressa resolvi solicitar e realizar a leitura. Que tal conferir minhas impressões em relação a este livro?
 Eu me interesso muito por livros que tratam de injustiça. Livros que falam sobre prisões injustas, sobre acusações infundadas, sobre a forma como um julgamento parcial pode acabar com uma vida. Leituras assim, apesar de revoltantes, são super necessárias, visto que coisas assim não estão divorciadas de nossa realidade.

Foi assim que me interessei por esse livro: uma premissa sobre uma prisão injusta. Aqui temos a história de Celestial e Roy, um casal recém casado, pronto para viver uma vida juntos. Eles possuem bons empregos, são a personificação do empoderamento negro em seu meio e estão com planos de expandir sua família, apesar das brigas que as vezes surgem entre eles.

No entanto, o destino prega uma de suas peças e Roy acaba se vendo condenado injustamente a 12 anos de prisão. Celeste sabe que ele não cometera o crime, no entanto, ninguém parece acreditar nela.

Assim, esse casal se vê separado e vamos acompanhando suas vidas, através de cartas trocadas entre os dois.  Esse ponto, foi para mim, o ponto mais envolvente e doloroso do livro. Você vai acompanhando os impactos que aquela prisão injusta está causando na vida de Roy e de todos aqueles que o amam.

Você o vê reduzido a sombra de alguém que já foi, vê a mãe dele lutar incansavelmente pelo filho e não abandoná-lo, mesmo diante das adversidades. Vê também a forma como o relacionamento entre ele e Celeste vai definhando ao longo dos anos, de uma forma que é difícil de explicar e entender.

Quando a condenação do Roy é anulada, vemos um homem que passou cinco anos trancafiado retomando sua liberdade, como um pássaro que passou muito tempo ferido e não sabe mais como usar suas asas. É forte, visceral e doloroso acompanhar seu novo olhar sobre a vida, sobre o que fora feito da sua vida.

E a partir daí acompanhamos um homem tentando recuperar sua vida. É uma história sobre esperança, sobre dor. É um enredo extremamente emocionante que fica na cabeça do leitor por muito tempo.
Sei que já falei bastante coisa, mas não podia deixar de tecer mais algumas considerações sobre as críticas que vi sobre o livro, sobre seus personagens e sobre os sentimentos que o mesmo me passou.

Em relação às críticas, vi muitas pessoas dizendo que o livro tinha um início promissor, mas que desandava ao decorrer do enredo. Confesso que comecei a leitura com este receio, no entanto, minha visão é totalmente diferente.
O livro incomoda. Aqui temos um início onde vemos pessoas felizes, cheias de esperanças e planos. A partir do momento em que a injustiça acontece, a vida dessas pessoas perde seu rumo, sua esperança e tudo o que planejaram começa a desandar.

Sinto que a autora soube transmitir isso perfeitamente através de sua escrita. Ela passa a dor, o desalento, o sentimento de perda e impotência através de sua escrita, de uma forma muito crua e incômoda, o que pode ter causado essa reação nos leitores dos quais li as críticas.

Esse é um livro com personagens reais. Suas falhas, seus temores e seus erros são transpassados a cada página. O livro transforma nossas emoções em montanha russa ao decorrer da leitura. Você sente empatia, raiva, sente a perda e julga os erros de cada um deles. Tem horas que a raiva é tão grande que nos esquecemos que são apenas personagens e isso para mim é genial. É uma qualidade de escrita ímpar, que só me fez admirar mais ainda a obra criada pela autora.

Por tudo o que já disse, acho que ficou claro que não adianta iniciar essa leitura esperando um conto de fadas, não é mesmo? Aqui temos uma história visceral, muito bem escrita, que nos surpreende, machuca e emociona, levando-nos aos extremos de nossas emoções. Este é um livro que entrou para minha lista de favoritos, e é por isso que faço essa indicação hoje para vocês. Espero que possam sentir essa história como aconteceu comigo e que ela lhes marque da mesma forma.

E essa foi a indicação de hoje, pessoal. Espero que tenham gostado! Não deixem de comentar, ok? Beijos e até o próximo post!

14 comentários:

  1. Confesso que pela capa eu não julgaria tanto de um livro. O fato de ter narrativas em cartas e relatar toda a dor e sofrimento, me chama atenção. Quem sabe numa próxima eu dê uma chance a este livro <3

    Beijos,
    Blog PS Amo Leitura

    ResponderExcluir
  2. Nossa, achei um livro bem forte. COmecei a ler achando que seria mais uma comédia romântica, mas não, e adorei a premissa. Acho importante abordar assuntos como esses, e mexer com a gente é essencial, nos faz crescer, às vezes sinto falta de uma leitura assim, por conta dos dias estressantes andei preferindo um água com açúcar rs
    Obrigada por compartilhar
    Bjos

    ResponderExcluir
  3. Oie amore,

    Que blog fofo, parabéns!!!
    Não conhecia o livro, de cara, pra ser bem sincera a capa não me atraiu.
    Mas ao ler sua resenha logo já deixei anotado aqui a dica para próximas aquisições.
    Parece se tratar de um livro um tanto quanto intenso, mas interessante de ser lido, já quero!!!

    Beijokas da Grah!

    ResponderExcluir
  4. Olá! Também li muitas críticas sobre essa história, e por causa delas eu meio que encostei a possibilidade de ler. E diferente de você, eu não curto muito histórias onde acontecem injustiças que interfiram tanto nas vidas dos personagens. Mas minha visão mudou ao ler sua resenha, e terminei querendo muito saber se ele consegue recuperar essa vida que ele perdeu, se ele consegue retomar de onde parou, o que, é claro, não vai acontecer. Obrigada pela resenha!

    Bjoxx ~ Aline ~ www.stalker-literaria.com ♥

    ResponderExcluir
  5. Nossa, deve ser uma trama realmente intensa que mexe com o leitor. Gosto muito de história que trazem algo da realidade, mas gosto só de vez em quando, pois a realidade muitas vezes é dura, cruel e faz sofrer demais. Anotei a dica.

    Bjs
    Tânia Bueno

    ResponderExcluir
  6. Esse livro me lembrou muito Se a Rua Beale Falasse... pela sua resenha, ele promete sim o que cumpre. Entrou na listinha de futuras leituras.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  7. Uau, com certeza é um desses livros que vira a gente do avesso, deve incomodar mesmo quem está lendo, pois a gente sempre torce por um final feliz e nem sempre é assim.
    Beijos
    Mari
    Pequenos Retalhos

    ResponderExcluir
  8. Olá.
    A premissa desse livro me lembrou um pouco o livro "Se a Rua Bealle falasse" porque em ambos o homem é preso injustamente, acusado de um crime que a companheira dele sabe que ele não cometeu. Infelizmente isso é muito comum de se acontecer com homens negros.
    Fiquei muito interessada nesta leitura, de modo que já entrou em minha lista de desejos.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  9. Oiee,
    Assim que vi a capa do livro fiquei interessada, gosto de livros que apresentam injustiças e a realidade, por mais que o livro seja a fuga do mundo real, é sempre bom relembrar da vida real e se tornar humana aos acontecimentos. Recentemente li O sol é para todos e Precisamos de novos nomes, que são livros incríveis, então quando vi essa capa imaginei que fosse algo parecido, sua resenha só confirmou minhas expectativas e não vejo a hora de ler.

    Beijokas

    ResponderExcluir
  10. Olá.
    Eu também gosto muito de livros sobre injustiças e recentemente li O Sol Ainda Brilha, sobre um homem que ficou 30 anos no corredor da morte injustamente. Por isso, me identifiquei logo de cara com a sua resenha!
    Eu tinha lido várias resenhas negativas sobre esse livro, mas depois de ler o que você escreveu, consegui entender que as pessoas esperavam algo mais feliz e menos real, né?! É uma pena! Mas sabendo que essa é uma história mais sofrida assim, posso ajustar minhas expectativas e fazer uma leitura muito melhor!
    Beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  11. Adorei ler a sua opinião sincera sobre o livro, acredito que as histórias que gram incomodo não são para qualquer leitor, não sabia muito sobre o livro e após ler tudo aqui, já o inclui na minha lista de desejados, fiquei bem instigada!
    Parabéns!!!

    ResponderExcluir
  12. Oi, Polly!
    Eu não sabia bem o que esperar desse livro, já li algumas resenhas não mto felizes sobre ele, mas é fácil entender o motivo. Ainda bem que vc passou uma impressão mais realista da história e o que eu posso esperar quando ler. Pelo visto é uma leitura super válida e fiquei mega curiosa. Livros que incomodam geralmente são os que mais precisam ser lidos.
    bjos
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  13. Olá!
    Não conhecia esse livro e gostei muito da premissa, apesar de ser um livro que eu não sou muito de ler, gostei de conhecer e já quero conferir essa história, que como você falou, não foge em nada da nossa realidade. Já quero conferir e espero gostar, a capa está linda. Adorei!

    beijos!

    ResponderExcluir
  14. Só de ler já chorei.. queria ler demais esse livro mas fico com receio de não gostar ou achar a trama dele muito intensa.
    Gosto demais de histórias puxam um pouco para a realidade e acredito que esse loivro seja assuim

    ResponderExcluir