Resenha #248: A Dama mais apaixonada


Título: A dama mais apaixonada
AutorasJulia Quinn, Eloísa James e Connie Brockway
EditoraArqueiro
Nº de Páginas: 285
Entre no mundo cintilante do período da Regência e prepare-se para ter seus corações aquecidos por Julia Quinn, Eloisa James e Connie Brockway... Durante sua peregrinação anual de Natal à Escócia, para visitar seu tio idoso em seu decrépito castelo, o Conde de Rocheforte e seu primo, Conde de Oakley, recebem presentes únicos: seu tio invadiu a festa de Natal de um lorde inglês - Lorde Bretton - e sequestrou quatro adoráveis mulheres para seus herdeiros escolherem... O castelo fica isolado devido à nevasca e as horas se tornam dias, as intenções mais honrosas revelam tentações tão surpreendentes quanto irresistíveis.
Olá pessoal, tudo bom com vocês? Hoje é dia de falar de romance de época aqui no blog e o livro da vez é o segundo de uma duologia, escrito por três autoras: Julia Quinn, Eloísa James e Connie Brockway. Que tal conferir minhas impressões de leitura de A dama mais apaixonada?
 Taran Ferguson, um proprietário de terras escocesas, quer que seus sobrinhos – Robin e Byron – se casem para dar continuidade à linhagem da família. No entanto, parece que os sobrinhos não estão lá muito empenhados em encontrar esposas. Desta forma, ele decide resolver a situação de sua maneira: sequestrando três jovens damas, para quem sabe, pelo menos um de seus sobrinhos se casem.

Não era hábito dela invocar o nome de Deus em vão, mas a verdade é que também não tinha o hábito de beijar duques, e certamente também não tinha o hábito de ser jogada dentro de uma carruagem e levada por vinte quilômetros de estrada quase intransitáveis, cheias de neve.

Um herdeira disputada pela sociedade – Cecily , uma herdeira com a honra manchada – Fiona, e uma bela e rica inglesa –Marilla. Ocorre que, ao sequestrar as três moças, ele acaba sequestrando também um Duque e uma moça inglesa sem nome tradicional ou fortuna – Catriona.

A porta da carruagem foi aberta de novo e uma bela bota masculina pousou com determinação no chão. Uma voz grave e irritada bradou:
_Ainda não!
Byron ficou boquiaberto. Robin se virou para ver o que estava acontecendo e exclamou:
_Santo Deus, tio, você raptou o Duque de Bretton!

É assim que Taran, seus sobrinhos e todos os citados acima acabam presos em um castelo decrepito, em meio a uma nevasca, obrigados a conviverem uns com os outros.

Em meio a diversas confusões e situações inesperadas, estas três autoras nos presenteiam com uma divertida história.

Dificilmente se encontraria registro adequado desta informação, mas Byron Wotton acreditara que o inferno era um lugar quente. Pois estava errado. O inferno era congelante, decrépito e ficava nas Terras Altas escocesas. E pior: era governado não por Belzebu, mas por um tio com senso de humor diabólico e sem o menor vestígio de cavalheirismo.

Esse é aquele tipo de livro escrito para divertir, para não ser levado a sério. Sua construção é leve, sem personagens complexos ou situações que farão pensar.

Aqui temos personagens um tanto quanto caricatos, em meio a situações esdrúxulas, que divertem, fazem rir e despertam aquele sentimento de vergonha alheia no leitor, sabe? Rs

Os romances não são muito construídos (nada de romances arrebatadores ou envolventes por aqui, ok?) visto que estes se dão em menos de cem páginas, mas alguns deles arrancam suspiros e divertem, como foi o caso do desenvolvido por Julia Quinn, que vai da página dezenove a noventa e sete.

Não vou ficar falando de cada um dos personagens, pois as histórias já são curtas, então acabaria entregando muito do livro. Mas quero dizer que a situação que manchou a honra de Fiona me fez rir, impossível levar a sério!

Neste livro, as autoras trabalharam juntas no prólogo, capítulo um e epílogo. Para contar as histórias de cada casal, elas se separaram, começando por Julia Quinn, seguida de Eloísa James, com um último conto de Connie Brockway. Acho que vale ressaltar que o tom do livro se mantém o mesmo, não dando para sentir exatamente a mudança de uma autora para outra, o que achei um ponto bem positivo.

Enfim! Se você procura um romance de época leve, espirituoso, despretensioso, com o intuito de fazer apenas com que o leitor passe bons momentos lendo, este é o seu livro. Cá entre nós? Ele é perfeito para ser lido naqueles momentos de ressaca literária, ou quando precisamos apenas de algo leve, que apenas diverte sem fazer pensar muito.

Espero que tenham gostado da dica de hoje! Não deixem de comentar, ok? Beijos e até o próximo post!

15 comentários:

  1. Gente, esse livro achei que fosse mais fofo, pelo nome hahaha como assim sequestro, todo mundo num castelo. Gente, uma confusão sem tamanho.
    Com certeza é um romance leve e despretensioso!

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem? Não conhecia esse livro ainda, mas parece ser uma leitura leve e divertida, então fiquei bem curiosa para ler. Adorei tua resenha e dica!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  3. Oi, Polly.
    Eu ri demais com esse livro!
    É bem o que você disse: para divertir, não para ser levado a sério.
    Os personagens se apaixonam rápido demais para mim, mas o livro é para ser engraçado, então nem dei bola para isso!
    beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  4. Oi, que hilária essa coisa de o tio sequestrar essas pessoas, fiquei curiosa para ler e ver no que isso vai dar, de vez em quando é bom ler um romance divertido e leve.

    ResponderExcluir
  5. Oi, espero que esteja bem!
    Amei a história leve que trazem bons risos principalmente depois de leituras pesadas, estou anotando a dica desse livro que envolve um trio parada dura da literatura.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Esse da Julia ainda não conhecia, a capa me remete a um quadro que tinha lá em casa na década de 90, essas histórias leves e de entretenimento são o que estou precisando no momento.

    ResponderExcluir
  7. Olá...
    Eu amo demais romance de época, mas, ultimamente não estou lendo muito esse gênero... Estou sentindo falta e preciso mudar isso urgentemente!
    Amo demais essas autoras da duologia e os dois livros já estão nos meus desejados... Amei sua resenha!
    Bjo

    ResponderExcluir
  8. Olá.
    Eu não conheço duas das autoras mas eu amo a Julia, no entanto esse não é um livro que me chamou atenção. Eu amo leituras leves, mas personagens e situações que a gente não pode levar a sério acabam me frustrando muito. Mas fico feliz que o livro funcionou pra você.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  9. Eu ainda não li livros de romance de época, por isso série o ideal começar por essa obra, já que se trata de uma obra de contos leves, divertidos, personagens caricatas e um romance que não arrebata nossos corações, mais nos deixa suspirando. Por isso e claro que irei incluir esse título na minha lista de desejados.

    ResponderExcluir
  10. Olá, tudo bem? Confesso que esse gênero não me agrada muito, mas que este ano estou querendo sair da minha zona de conforto e me jogar nos romances de época, quem sabe eu descubra um novo amor literário né.
    Vou anotar a dica.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  11. Olá!

    Está ai uma história que eu quero conhecer, lendo sua resenha achei o livro ideal para encaixar entre uma leitura e outra, aquele feito para relaxar, divertir e salvar das ressacas. Fiquei bem curiosa para conferir a dinâmica das autoras. Obrigada pela dica.

    Um beijo
    leitura-terapia.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Oie,
    Não sou muito fã de romances de época, então, só leio se for indicado por alguém próximo, que conhece meu gosto literário. Me indicaram a duologia Agentes da Coroa, escrito pela Julia Quinn, mas ainda não li. Sempre passo outro gênero na frente. Essa duologia escrita a seis mãos parece ser bem leve e diverta, mas vou deixar a dica para quem curte o gênero.
    Com amor, André
    Garotos Perdidos

    ResponderExcluir
  13. Oi!
    Adoro a Julia seus livros são marcantes e bem descritos, as outras autoras ainda não conhecia mas se você está falando que não há diferença quando lê vou acreditar. Parabéns pela resenha fiquei curiosa para saber mais do sequestro e do que vão aprontar, apesar de ser o segundo livro, vou ter em mente quando tiver uma ressaca literária pois tenho sempre que leio um livro pesado emocionalmente. Adorei o enredo tem uma abrangência muito grande que pode ter vários fins, obrigado pela dica. Bjs!

    ResponderExcluir
  14. Olá, tudo bem? Como fã da autora, obviamente pretendo um dia ler esse livro dela. Não sou muito fã de contos, porém como esse reúne nomes que conheço e admiro dentro dos romances de época, acredito que irei curtir. Adorei a resenha que traz um pouco de cada um, e que tem fotos belíssimas. Ótima postagem!
    Beijos

    ResponderExcluir
  15. Faz tempo que não leio nada da Julia Quinn, mas gosto de suas obras e a forma como ela apresenta uma narrativa leve, para descontrair mesmo. Gostei bastante da sua resenha e fiquei ainda mais curiosa para conhecer.

    Beijos,
    Blog PS Amo Leitura

    ResponderExcluir