.

Resenha #305: A pequena ilha da Escócia

 


Olá pessoal, tudo bom com vocês? Hoje é dia de conversar um pouquinho sobre o último lançamento da Jenny Colgan para os Romances de Hoje da Editora Arqueiro. Já adianto para vocês: esse livro é um verdadeiro aconchego.


Me apaixonei pela escrita da autora desde seu primeiro livro publicado no selo Romances de Hoje. As histórias que trazem tramas de pessoas descobrindo seus propósitos enquanto lidam com suas próprias questões, tudo isso em meio a comunidades acolhedoras sempre acabam me cativando muito.


A forma como a autora constrói suas personagens, como as faz evoluir ao longo da trama, de uma maneira bem orgânica, com a qual o leitor acaba criando uma identificação, são sempre um presente e com a história de Flora não foi diferente.



Hiraeth (subst.): saudade de um lar para o qual não se pode voltar, um lar que talvez nunca tenha existido; a nostalgia, o anseio; o luto por lugares perdidos no passado.


Aqui temos uma personagem que nasceu em uma pequena ilha da Escócia – a ilha de Mure – e que deixou tudo para trás para estudar e posteriormente trabalhar em Londres.


Ela eventualmente visitava sua família, até que a mãe falece, um grande desentendimento se forma e ela foge, abandonando sua família e história.


Eis que um cliente surge no escritório em que ela trabalha e faz uma exigência de que ela acompanhe um caso justamente na ilha em que ela abandonou. A intenção é ajuda-lo em uma determinada demanda que exigirá contatos no local, no entanto, mal sabe ele que existe um grande ressentimento em relação a ela.


Flora volta a sua cidade natal e veremos ela tendo que lidar com seus medos, frustrações e com toda a bagunça que ela deixou para trás, tudo isso enquanto ela descobre quem realmente se tornou e qual seu verdadeiro propósito. 



Em meio a essa trama, ainda temos uma pitada de romance – ainda que não seja o foco principal, um enredo envolvendo um núcleo familiar (algo que adoro) e uma comunidade incrível, que vai se mostrando aos poucos ao longo da trama.


A forma como as relações são construídas, como a autora trata o luto e a sensação de pertencimento foram os pontos que fizeram com que amasse ainda mais essa leitura.


Portanto, se você estiver procurando um enredo envolvente, com personagens bem construídos e com uma trama que é como um abraço, um aconchego, eis aqui uma ótima sugestão!


Espero que tenham gostado da dica de hoje. Não deixem de comentar, ok? Beijos e até o próximo post!





Autora: Jenny Colgan

Editora: Arqueiro

Nº de Páginas: 336

Compre aqui

Flora MacKenzie tem certeza de que ter fugido de Mure, a pacata ilha escocesa onde cresceu, para a cidade grande foi uma escolha certeira.

Afinal, em Mure todo mundo a conhece desde que ela se entende por gente, e ninguém a deixaria esquecer o passado. Em Londres, ela pode ser anônima, ambiciosa e se entregar à paixão sem futuro pelo seu chefe bonitão, o advogado Joel.

Mas quando um novo cliente do escritório exige a presença de Flora em Mure, ela é obrigada a conviver de novo com seus irmãos (todos fortes, rústicos e aparentemente incapazes de executar tarefas domésticas básicas) e seu pai.

Nessa volta forçada às raízes, Flora descobre um amor pela culinária que dá um novo sentido à sua vida. Logo fica claro que, para escrever sua história do jeito que quer, ela terá que aprender a perdoar os erros que já cometeu.

É muito estranho viajar nas férias para tantos lugares diferentes e não passar algum tempo conhecendo seu próprio país. Quando voltei a morar na Escócia depois de décadas, decidi corrigir isso.

Por ter nascido no sul do país, eu nunca tinha ido às Terras Altas nem às Ilhas. Então, aproveitei essa oportunidade para visitá-las e, logo de cara, me apaixonei pelas Ilhas.

As praias vastas, os monumentos antigos, os lugares planos e sem árvores (elas geralmente não conseguem crescer com os ventos fortes), as noites de verão infinitas quando o céu nunca escurece... todos esses lugares são encantadores em sua singularidade.

Mure é um lugar fictício, mas espero que transmita a essência e a atmosfera daquelas ilhas incríveis bem ao norte, que são tão estranhas, lindas e maravilhosas.

Espero muito que você goste de A pequena ilha da Escócia. Este é um livro muito pessoal para mim, pois, depois de tanto tempo, enfim voltei para casa, para a terra onde nasci, e – assim como a protagonista – descobri que ela esteve esperando por mim esse tempo todo.


3 comentários:

  1. Oie .Este está na minha TBR ! Eu não sou realmente apaixonada pelos livros da Jenny ,infelizmente, acho leituras gostosinhas de passar o tempo ,mas só..Porém estou com altas expectativas para este .

    Beijos

    https://mundinhoquaseperfeito.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Polly!
    Amei a capa do livro, me passou um lugar de paz e aconchegante.
    Amei sua resenha, a forma como você mesma colocou da evolução e construção dos personagens engrandece todo o enredo, fiquei curiosa sobre a história e para conhecer Flora, obrigado pela dica, parabéns pela resenha, bjs!

    ResponderExcluir
  3. Oi, tudo bem? Ah, eu gosto muito da coleção Romances de hoje, tem cada história inspiradora. Impossível não querer ler o próximo. Esse em especial fiquei bem curiosa principalmente pela parte da Escócia, um dos países que sonho muito em conhecer. Não deve ser fácil voltar para casa depois de tanto tempo e descobrir o quanto amadurecemos. Um grande aprendizado. E essa edição? Está lindíssima. Um abraço, Érika =^.^=

    ResponderExcluir

Pollyanna Campos

Mineira, apaixonada por livros, advogada, viciada em romances de época, séries e café. Ama viajar, ouvir a mesma música, ver os mesmos filmes, reler suas citações literárias favoritas e cuidar de suas plantas.




Caixa de Busca

Seguidores

Instagram

Youtube


Posts Populares

Destaque

Resenha #309: Uma noite na Itália

  Olá pessoal, tudo bom com vocês? Hoje é dia de conversar um pouquinho sobre “ Uma noite na Itália ”, escrito pela autora Lucy Diamond !

Arquivos

Facebook

Tecnologia do Blogger.

Entre Livros e Filmes

Entre Livros e Séries